Menu
Busca quinta, 22 de outubro de 2020

Chuvas contantes causam desmoronamentos e inundações em cidades de MS

Chuvas contantes causam desmoronamentos e inundações em cidades de MS

12 janeiro 2016 - 09h15Por Correio do Estado
As chuvas que atingem Mato Grosso do Sul continuam causando transtornos em vários municípios. Em Aquidauana, o rio que leva o mesmo nome do município transbordou e oito famílias ficaram desabrigadas. Na cidade de Deodápolis, distante a 260 km da Capital, uma rodovia teve de ser interditada depois de desmoronamento.

O coordenador da Defesa Civil de Aquidauana, Mário Ravaglia, disse ao Portal Correio do Estado que o nível do Rio Aquidauana atingiu 8,26 metros na tarde desta segunda-feira (11), o que representa quase o triplo do nível normal, que é de 2,99 metros.

Casas de moradores ribeirinhos foram alagadas e 10 famílias ficaram desabrigadas, sendo sete em Aquidauana e duas em Anastácio, que também é banhada pelo rio. Em Aquidauana, cinco famílias foram alojadas na Escola do Rotary Club e outras três foram para casa de parentes.

Ravaglia explicou que a situação atual é diferente da registrada em 2011, quando a cheia do rio causou um rastro de destruição, porque o nível do rio está subindo em ritmo lento.

“Estamos em alerta, mas o rio está subindo bem devagar e não está dando susto na gente. Ontem subiu uma média de 4 a 6 centímetros por hora. Estamos fazendo trabalho em conjunto”, disse.

Outra cidade que também é cortada pelo Rio Aquidauana é Dois Irmãos do Buriti, distante 84 quilômetros da Capital. O município está em alerta, mas até o momento não foram registrados alagamentos.

A chuva constante também causou estragos na MS-145, entre os municípios de Deodápolis e Angélica, que foi parcialmente interditada devido a um desmoronamento de terra às margens da rodovia. A Defesa Civil do município interrompeu meia pista para evitar acidentes, já que a pista está cedendo por baixo do asfalto.

De acordo com o site MS Cidades, a rodovia é bastante utilizada por ônibus que transportam trabalhadores até usinas da região e veículos que trafegam como forma de acesso a BR-267. Na mesma rodovia, parte da estrutura de proteção da ponte sobre o Córrego 7 cedeu.

AVALIAÇÃO DE RIOS

O Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul) tem uma sistema que avalia em tempo real o volume dos rios e das chuvas no Estado.

Conforme o órgão, quando um rio atinge um nível elevado, como é o caso do Rio Aquidauana, são emitidos alertas direcionados a Coordenadoria de Defesa Civil, que garante a retirada antecipada e em segurança da população ribeirinha, além de minimizar prejuízos materiais.

O monitoramento é feito atualmente nos rios Piquiri, Cuiabá, Paraguai, Miranda, Aquidauana, Pardo e Aporé. São 13 estações telemétricas que funcionam com energia solar e coletam tanto a altura dos rios como o volume das chuvas locais.

Com os dados, técnicos do Imasul conseguem avaliar o momento em que os rios podem ultrapassar os limites de suas calhas e inundar regiões mais baixas, além de ter uma estimativa do tamanho que a área de inundação pode alcançar.

Os dados de medição de nível do rio e chuvas podem ser acessados em tempo real no site da Agência Nacional de Águas: www.ana.gov.br. Já no site do Imasul podem ser conferidos boletins diários e mensais com médias detalhadas sobre comportamento dos rios e chuvas no estado.

Deixe seu Comentário

Leia Também

JARDIM
Polícia Militar Ambiental de Jardim fiscaliza o rio da Prata e Formoso onde a pesca é proibida e apreende petrechos ilegais
SAÚDE
ANS: 59% das queixas sobre covid-19 são para exames e tratamentos
REGIÃO
Polícia Militar Ambiental de Aquidauana flagra e autua infrator por incêndio em resíduos domésticos em terreno baldio
NAVIRAÍ
Boca de fumo é descoberta e um adolescente e dois homens são detidos pela Polícia Civil