Menu
Busca quarta, 01 de abril de 2020

Reinaldo Azambuja e FHC lançam Rede Solidária falando em resgate da dignidade humana

14 novembro 2015 - 08h00Por Notícias MS
Famílias carentes que vivem em situação de vulnerabilidade nas imediações do bairro Dom Antônio Barbosa, em Campo Grande, serão atendidas pelo programa social Rede Solidária. O projeto foi lançado nesta sexta-feira (13) pelo Governo do Estado com as presenças do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, do governador Reinaldo Azambuja e da vice-governadora e chefe da Secretaria de Estado de Direitos Humanos Assistência Social e Trabalho, Rose Modesto. “Esse programa é um trabalho social de resgate da dignidade e de oferta de oportunidades”, frisou o governador Reinaldo.

Durante a cerimônia de lançamento, realizada no Dom Antônio Barbosa, Fernando Henrique citou os avanços socioeconômicas que o Brasil viveu nas últimas décadas afirmando que os governos abrem caminhos com os programas sociais. “São naturais e necessários, mas o mais importante de tudo é que o povo não precise deles”, disse o ex-presidente, ressaltando que a capacidade do cidadão em trabalhar e agregar renda familiar é fundamental para a dignidade humana. “Está Rede é uma oportunidade. Peguem com as mãos e façam algo concreto para transformar a vida de vocês”, pontuou.

Com a mesma ideia, o governador Reinaldo Azambuja explicou que a intenção do projeto é fazer com que os beneficiários consigam a ascensão social. “Muitos de vocês que já são beneficiários de programas sociais terão uma nova chance de crescimento, de ter uma profissão e um trabalho de dignidade que vai gerar renda familiar. A Rede Solidária é uma ação de governo para proporcionar uma renda às famílias e ensinar a profissionalização”, falou.

Para a vice-governadora, com o lançamento do programa, Mato Grosso do Sul passa a ter mais uma política social, que chega às famílias carentes com oportunidades de educação, cultura, capacitação profissional e outras. “É isso que faz qualquer ser humano independente, com condições de fazer suas próprias escolhas”, disse Rose.

Segundo a representante da comunidade, Yhossina Velasquez, “o projeto é fundamental para incentivar a população a avançar na vida”. “O governador e a vice-governadora estão dando oportunidade para toda essa gente, mas meu desejo é poder chegar o dia em que eu posso falar ‘já não preciso mais do vale renda porque eu consigo sustentar minha família’. Assim, podemos dar oportunidades para outras famílias que precisam”, ressaltou.



A Rede Solidária

Instalado nas imediações da favela Cidade de Deus, no bairro Dom Antonio Barbosa, o prédio da Rede vai trabalhar no ponto mais vulnerável da cidade, tanto em índices de violência, saúde e geração de renda. A meta também é atender beneficiários do Vale Renda – recurso destinado às pessoas em situação de risco social (R$ 170 mensais por beneficiário).

De imediato, a Rede Solidária vai atender pelo menos 850 pessoas na Capital, sendo que até 2018 os serviços serão instalados também no interior. Os atendimentos serão realizados em 28 projetos em sete áreas: Educação, Cultura e Esporte; Esporte Cidadão; Escola da Família; Saúde e Prevenção; Segurança Cidadã; Voluntariado; e Horta Orgânica e Trabalho e Renda.

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOTÍCIAS
Justiça indeniza consumidora que adquiriu seguro e não foi ressarcida
SAÚDE
TRF2 suspende liminar que fixava verbas para combate ao coronavírus
SAÚDE
Paraguai fecha estradas para evitar disseminação do coronavírus
ECONOMIA
Banco prorroga prazo para pagar parcelas do FCO Empresarial