Menu
Busca sábado, 26 de setembro de 2020

Judicialização deixa obra do Aquário do Pantanal parada até janeiro de 2016

18 dezembro 2015 - 11h00Por G1
Nova decisão judicial proíbe o Governo do Estado de Mato Grosso do Sul de contratar segunda colocada no processo de licitação para concluir a obra do Aquário do Pantanal até o dia da audiência com a Egelte Engenharia, marcada para o dia 21 de janeiro de 2016.

“Ocorre que hoje nós recebemos uma notificação de uma decisão judicial onde o juiz suspende todas as ações processuais até o dia 21 de janeiro de 2016 e marcou uma audiência entre as partes para o dia 21 de janeiro. Por conta dessa decisão judicial, o Estado está impossibilitado de tomar qualquer atitude em relação ao aquário até o dia 21 de janeiro”, explicou o secretário de Infraestrutura, Marcelo Miglioli.

A assessoria da empresa, por nota, informou que se faz necessária a realização de uma auditoria completa do empreendimento para saber o que já foi executado no local durante o período em que a empresa esteve afastada do canteiro de obras.

Apesar disso, a Egelte afirma que tem competência técnica para finalizar a obra desde que seja determinada pelo Poder Judiciário.

No entanto, Miglioli diz que é prerrogativa do contratante realizar auditoria, ou seja, do governo. Além disso, o secretário afirma que a última medição realizada o resultado foi negativo. Assim, a empresa estaria em débito.
“A última medição que fechamos ela deu um valor negativo. A partir do momento que fecha a medicação negativa, entende que a contratada tem um débito com a contratante. Essa medição negativa é reflexo do passado”, pontuou Miglioli.

A obra parou no dia 16 de novembro após uma decisão da Justiça que desobrigada a empresa a voltar ao canteiro de obra. No dia 9 de dezembro, uma decisão da 3ª Vara de Fazenda Pública e de Registros Públicos de Campo Grandederrubou a liminar que que desobrigada a empresa Egelte Engenharia a continuar a obra do Aquário do Pantanal.

Obras

O Centro de Pesquisa e Reabilitação da Ictiofauna, conhecido como Aquário do Pantanal, foi lançado em 2011 pelo então governador André Puccinelli (PMDB). As obras começaram no mesmo ano.

Quando finalizado, o empreendimento será o maior aquário de água doce do mundo, com 6,6 milhões de litros de água, distribuídos em 24 tanques, com 7 mil animais de 263 espécies, entre elas peixes, jacarés e cobras. O Aquário do Pantanal deve incluir ainda um centro de pesquisa, com 1000 m² de laboratório e biblioteca digital.

Atraso

A primeira previsão divulgada pelo governo do estado em relação à inauguração do Aquário do Pantanal foi outubro de 2013. O prazo foi adiado para outubro de 2014 e depois para dezembro do mesmo ano, mas, mesmo com o adiamento, a obra não foi finalizada.

Segundo Puccinelli, a obra, que está em fase de conclusão, teve atrasos recorrentes por conta das chuvas em Campo Grande. Com custo inicial previsto de R$ 87 milhões, o Aquário do Pantanal terá um custo total de R$ 230 milhões.

Em agosto, o governador Reinaldo Azambja (PSDB) disse que a obra será concluída “com Egelte ou sem Egelte”. O prazo de entrega ficou para 2016.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MS
Crianças tem sobrenome acrescentado de avô materno após decisão da Justiça em MS
GERAL
Polícia Federal prende prefeitos de Rondônia por suspeita de corrupção
CRISE AMBIENTAL
Papa cita na ONU 'perigosa situação da Amazônia e dos indígenas'
INFORME PUBLICITÁRIO
Universidad Columbia del Paraguay, filial de Pedro Juan, abre matrículas para Medicina