Menu
Busca sábado, 24 de outubro de 2020
TJMS

Equipe é capacitada para operar videomonitoramento

12 julho 2016 - 09h00Por Assessoria/DA
O serviço de videomonitoramento do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul entra em funcionamento ainda neste mês de julho. Para tal, alguns servidores, além de policiais militares que integram a Assessoria Militar do TJ, passaram por treinamento nos dias 5, 6 e 7 de julho para poderem operar o sistema de Circuito Fechado de TV (CFTV), que irá monitorar todas as dependências da sede do Tribunal de Justiça, no Parque dos Poderes. A medida está de acordo com o proposto pela Comissão Permanente de Segurança Institucional do TJMS, cujo presidente é o Des. Vladimir Abreu da Silva.

O sistema de videomonitoramento, permitirá o acompanhamento em tempo real de todas as edificações do TJ. O engenheiro responsável pela implantação do sistema, Anderson Adriano Santos Silva, da empresa Tecno-IT, explica que o monitoramento funcionará 24 horas por dia durante 7 dias por semana, trazendo mais segurança para todos no Poder Judiciário.

Anderson explica que todo o equipamento já está funcionando e o momento agora é de ajustes junto a Assessoria Militar, para encontrar os melhores ângulos de filmagem, quais os pontos que devem ser mais monitorados e outros ajustes técnicos. O engenheiro ainda ressaltou que o sistema escolhido pelo Tribunal foi o mais adequado para o tipo de monitoramento desejado e ainda que a decisão de colocar o serviço em um servidor independente foi a mais adequada, pois torna o sistema mais seguro, garantindo que não seja hakeado a partir do servidor geral.

São ao todo 102 câmeras internas, 60 câmeras externas e uma câmera de ronda do tipo speed dome com recursos de visualizações em 360º para monitoramento da entrada da Av. Mato Grosso, monitorando dessa forma toda a frente do tribunal, com um alcance de até 2 km. As câmeras estão
locadas nas áreas de circulação de pessoas, estacionamentos, guaritas, e locais de acesso de pessoas e veículos.

O software de gerenciamento de vídeo permitirá, entre outros, a facilidade na armazenagem e acesso aos eventos gravados. As câmeras têm recursos internos, como detecção de movimento, alarme de detecção de áudio, alarme ativo contra adulteração, conexões de E/S (entrada/saída)
e funções de gerenciamento de alarmes e eventos.

Esses recursos permitem que as câmeras de rede e os codificadores de vídeo analisem constantemente as entradas para detectar um evento e reagir automaticamente a um evento com ações, como gravação de vídeo e envio de notificações de alarme.

A fase de elaboração do projeto contou com a participação de representes da Secretaria de Obras, Secretaria de Tecnologia da Informação, Assessoria de inteligência e a Assessoria Militar, que ainda manterão seus representantes na fase de fiscalização na implantação do Sistema.

Ainda no ano de 2016 existe a previsão da licitação para execução do Sistema de CFTV nas edificações da Capital e, no próximo ano, para as comarcas do interior.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Resgates superam investimentos no Tesouro Direto em R$ 168,48 milhões
EDUCAÇÃO
Censo mostra que ensino a distância ganha espaço no ensino superior
ECONOMIA
Contas externas têm em setembro sexto mês seguido de saldo positivo
INTERNACIONAL
Brasil e outros 31 países assinam declaração sobre saúde da mulher