Menu
Busca domingo, 17 de janeiro de 2021

Mãe de menina agredida pelo pai entra com pedido de guarda

Mãe de menina agredida pelo pai entra com pedido de guarda

20 abril 2012 - 16h50
G1 MS


A mãe da menina de 9 anos agredida pelo pai protocolou na quinta-feira (19) o pedido de guarda provisória da garota, que está provisoriamente com a avó paterna.

A mãe mora em Jardim, a 239 km de Campo Grande, com mais sete filhos e um neto. O pai, o auxiliar de pedreiro Alessandro dos Santos Borges, 29 anos, está impedido de se aproximar da filha ou fazer contato com ela.

A agressão foi flagrada pelo vizinho da família na sexta-feira (13), que entregou as imagens à Polícia Civil. Borges foi preso e indicado por lesão corporal dolosa.

A defensora pública em Jardim, Andréia Pereira Nardom Braga, disse ao G1 estava aguardando alguns documentos, como a certidão de nascimento da menina, para que pudesse protocolar o pedido de guarda provisória. Segundo Andréia, o Conselho Tutelar foi até à casa da mãe e fez um levantamento prévio das condições sociais dela. “Isso foi feito para ver se a mãe tem condições de ficar com a filha”, explica.

A avó paterna também pediu a guarda provisória e o pedido foi protocolado na quarta-feira (18). A decisão deve ser dada pela juíza Katy Braun do Prado, da Vara da Infância e Juventude.

A delegada Regina Márcia Mota, da delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), disse que está finalizando o inquérito e ainda estão pendente alguns interrogatórios. Além de Borges, a mulher dele, madrasta da menina, também foi indiciada por lesão corporal dolosa.
Em entrevista ontem, Alessandro Borges disse que está arrependido do que fez e que cometeu excesso.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TEMPO
Domingo de tempo fechado com chance de mais chuva para o Estado
CUIDADO
Janeiro Branco e os cuidados com saúde emocional em meio a uma pandemia
SELVÍRIA
Paulista é autuado por derrubada de árvores e incêndio ilegal da vegetação nativa
CORONAVÍRUS
Em 24 horas MS registra 1.316 exames positivos de Covid-19 e 13 mortes