Menu
Busca quinta, 29 de outubro de 2020
Fronteira

Antônio João: universitários paraguaios cruzam fronteira para conhecer a agricultura familiar de MS

28 abril 2016 - 09h45Por Notícias MS
Em busca de conhecimento na área de Ciências Agrárias, estudantes e professores paraguaios, da Universidad Nacional de Asunción (Campus de Pedro Juan Caballero), cruzaram a fronteira para conhecer os trabalhos da Agraer (Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural) do município de Antônio João.

Formado por 40 alunos e três professores, o grupo esteve com profissionais da Agência a fim de conhecer os trabalhos que vem sendo realizados para o empoderamento socioeconômico dos pequenos produtores de Mato Grosso do Sul.

Na opinião do coordenador municipal da Agraer de Antônio João, João Alfredo Neto, a visita foi um ganho mútuo. "Apresentamos os trabalhos da Agraer e dos pequenos produtores que servem de bons exemplos na agricultura familiar da região Sul e, em contrapartida, ainda houve um intercâmbio de conhecimento entre a equipe da Agência e os acadêmicos e professores", enfatizou João Alfredo.

A rotina de trabalho e o papel da Agraer dentro da produtividade sul-mato-grossense foram apresentados pelos engenheiros agrônomos João Alfredo Neto da Silva, Alexy Damiani Medeiros e Welvis Franco Silva.

Em seguida, os visitantes participaram de um café da manhã a partir de alimentos produzidos nas chácaras da agricultura familiar. Na mesa, uma farta refeição foi servida com laranja, banana maça, mamão, pão, mel, sucos naturais e caldo de cana.

Observação direta

Para o rendimento das atividades, a equipe da Agraer preparou uma programação especial com observação direta, ou seja, visita em chácaras, de 4,5 hectares, pertencentes ao Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF), que oferece condições para que os trabalhadores rurais sem terra ou com pouca terra possam comprar um imóvel rural por meio de financiamento. O programa é realizado em Mato Grosso do Sul através de parceria entre o governo Federal e o Estado.

Apresentação do cultivo de banana, manejo e colheita da fruta, armazenamento em caixa para maturação, tratamento com carbureto, apresentação do produto após três dias de tratamento, horta (cultivo de alface, tomate e pimentão), consórcio de culturas, diversificação e rotação de cultivares, área de pastagem rotacionada (piquetes), apresentação de equipamentos para plantio e adubação das culturas foram alguns dos pontos que os estudantes puderam ver no dia de campo.

Além de visitar as áreas produtivas, hortas e pastos, o grupo teve a oportunidade de conversar diretamente com os donos das propriedades, uma forma de aproximar os futuros agrônomos da classe produtiva e saber como é a realidade rural, pontos fortes e desafios, através de relatos daqueles que vivenciam o dia a dia na terra, os agricultores.

"Apresentamos nossa metodologia adotada junto aos agricultores de Antônio João e, ao final das explicações, os estudantes questionaram e, ainda, mencionaram as pesquisas que eles vêm realizando na faculdade. O interessante é que muitos alunos são produtores, no Paraguai, e isso engrandeceu muito na hora dos debates", observou João Alfredo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

JUSTIÇA
Pandemia mostrou que o Judiciário pode mudar, diz ministra
MAUS-TRATOS AO ANIMAL
Polícia Militar Ambiental de Aquidauana autua em R$ 3 mil infrator preso por Policiais Militares por matar cachorro alheio a pauladas
ECONOMIA
Déficit primário do Governo Central atinge R$76,16 bilhões em setembro
SEMANA DO SERVIDOR
Por meio virtual, Escolagov entrega XV Prêmio na Gestão Pública