Menu
Busca quarta, 14 de abril de 2021

Adição de 1 segundo em 2015 pode atrapalhar serviços de internet

Adição de 1 segundo em 2015 pode atrapalhar serviços de internet

09 janeiro 2015 - 08h30Por G1
O ano de 2015 terá um segundo a mais, informou o Serviço Internacional da Rotação Terrestre e Serviço de Referência (IERS) na segunda-feira (5). Apesar de a adição não passar de um piscar de olhos, a forma como alguns serviços digitais a receberão pode causar uma interferência generalizada internet afora.

O segundo a mais ocorrerá na virada do dia 30 de junho para 1º de julho. Quando o relógio registrar 23h59m59s, o ponteiro não passará automaticamente para as 00h do dia seguinte. O acréscimo já ocorreu em outros anos. Decorre de um descompasso entre o sistema universal de medida do tempo e os registros de hora feitos por relógios atômicos.

Enquanto o tempo medido pelo Tempo Universal Coordenado (UTC, na sigla em inglês) atrasa devido a uma desaceleração no movimento de rotação da Terra, os relógios atômicos não sofrem com isso. Continuam contando os segundos normalmente. Para chegar a um equilíbrio, de tempos em tempos, o IERS anuncia segundos adicionais. Desde 1972, já foram 25.

Na prática, os relógios terão que ler um segundo adicional, o 23h59m60s, o que dará ao dia 30 de junho um total de 86.401 segundos. Pode parecer pouco, mas em 2012, última vez em que uma adição foi feita, o mundo da internet sofreu com uma onda de instabilidade. Os problemas ocorreram com Mozilla, Reddit, Foursquare, Yelp, LinkedIn, o sistema operacional Linux e aplicações rodando em Java.

A falha pode ocorrer porque muitos sistemas de computação, incluindo computadores, laptops, smartphones e afins, usam o Network Time Protocol (NTP), que registra as horas e está alinhado a relógios atômicos. A maioria, porém, não está preparada para lidar com um segundo extra.

O mesmo problema ocorreu com o Google em 2005, quando um segundo extra foi adicionado. Os sistemas da companhia não estavam preparados. Alguns deles “se recusaram” a trabalhar enquanto possuíam uma medição de tempo “errada”. O problema foi identificado em 2008 por engenheiros, que começaram a trabalhar em uma forma de driblá-lo. A solução encontrada foi implementar uma modificação interna no NTP. Milissegundos são acrescentados ao tempo durante todo o dia que terá um segundo a mais. Assim, quando chega a hora, o segundo já foi acrescentado naturalmente.

A adição de segundos é tema para discussões internacionais. Os Estados Unidos querem acabar com os acréscimos. Argumentam que a correção atrapalha sistemas de navegação e de comunicação, além de poder atrapalhar transações financeiras que necessitam de um registro preciso do tempo. Já o Reino Unido é defensor dos segundos extra. O argumento é que a não inclusão poderia criar um distúrbio no conceito de tempo, e isso significaria “dissolver” o sistema de fusos horário adotados a partir do Meridiano de Greenwich.

Deixe seu Comentário

Leia Também

GUIA LOPES
Polícia Militar conduz dois indivíduos por Violência Doméstica
PROSSEGUIR
Mudanças nas bandeiras do Prosseguir podem alterar atividades nos municípios de MS
MUNDO NOVO
Polícia Militar prende jovem por venda de bebidas a menores e apreende adolescente por desacato
GERAL
Governo celebra política de drogas focada em comunidades terapêuticas