Menu
Busca quarta, 21 de abril de 2021
SAÚDE

Letalidade da covid-19 em crianças hospitalizadas cai em 2021

Pesquisa aponta ainda queda nas internações pela doença

19 março 2021 - 09h10Por Agência Brasil

O percentual de crianças e adolescentes de até 19 anos que morreram após terem sido internados por covid-19 caiu nos primeiros meses de 2021 em relação à média de 2020, segundo pesquisa da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). Chamada de taxa de letalidade, a proporção era de 8,2% entre fevereiro e dezembro do ano passado e ficou em 5,8% de janeiro a 1º de março de 2021.

O presidente do Departamento Científico de Infectologia da Sociedade Brasileira de Pediatria, Marco Aurélio Sáfadi, ressalta que esse percentual não representa a letalidade geral da doença e sim a proporção de vítimas entre os casos que chegam à internação por síndrome respiratória aguda grave (SRAG) relacionada à covid-19. Ele disse acreditar que a redução da letalidade pode estar relacionada à melhora na qualidade do atendimento, decorrente de um conhecimento maior acumulado sobre a doença.

A pesquisa também aponta a queda no percentual de crianças e adolescentes entre os hospitalizados por covid-19. No ano passado, o percentual representou 2,46% dos casos de internação, enquanto em janeiro e fevereiro deste ano, ficou em 1,79%.

O número de crianças e adolescentes mortos pela covid-19 em 2020 representou 0,62% do total de vítimas, enquanto nos primeiros dois meses deste ano, a proporção foi de 0,39%. Em número absolutos, 1.203 crianças e adolescentes foram vítimas da covid-19 no ano passado e, até o início de março deste ano, mais 121 morreram em decorrência da doença.

Para Sáfadi, apesar de o percentual de mortes de crianças e adolescentes ser baixo entre o total de vítimas, o número absoluto é dramático. Diante disso, o médico destaca que o cuidado dos adultos também protege as crianças.

"O que temos visto é que são os adultos que infectam as crianças, e não o contrário. Para proteger o seu filho, você tem que se proteger. Essa é a principal mensagem que a gente deixa aqui. Que os adultos estejam atentos ao seu dia a dia, para que tenham a clareza de que é importante obedecer as medidas de uso de máscara e evitar aglomerações para protegê-los e proteger os seus filhos", enfatizou o médico.

Além disso, Sáfadi pede urgência nos estudos necessários para autorizar a vacinação de crianças e adolescentes contra a covid-19. Como os estudos clínicos realizados para as vacinas tiveram apenas voluntários maiores de idade, mais testes são necessários para garantir a segurança e a eficácia dos imunizantes nas crianças e adolescentes.

"Conforme formos vacinando os adultos, veremos diminuir o número de mortos nesse grupo, e as crianças vão continuar suscetíveis. E a gente não pode excluí-las dessa ferramenta de proteção que são as vacinas. É urgente que a gente estude as vacinas em crianças", acrescentou.

Sáfadi também destacou que a pesquisa detectou em fevereiro o início da circulação do vírus sincicial respiratório (VSR), o que se repete todos os anos e impacta as hospitalizações por SRAG. "É um vírus que a gente conhece muito bem e que circula com muita intensidade no mês de março. É um cenário que, para nós, não causa nenhuma surpresa".

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Arrecadação de março superou as melhores expectativas, diz Guedes
COTAÇÃO
Dólar fecha em leve alta após mudanças no Orçamento
POLÍTICA
Câmara: plantio de maconha para fins medicinais tem parecer favorável
REGIÃO
Polícia Militar no Distrito do Boqueirão apreende 1,5kg de maconha