Menu
Busca quinta, 22 de abril de 2021
AGEPAN

Agepan publica Portaria que institui Termo de Ajustamento de Conduta no transporte rodoviário

02 março 2021 - 13h30Por Portal MS

A penalização com multas aplicadas às empresas delegatárias e outros operadores nos serviços de transporte rodoviário intermunicipal de passageiros em Mato Grosso do Sul poderá ser substituída por um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), com obrigação de investimentos e correção das inconformidades. A Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos publicou nesta terça-feira (2/3) a Portaria nº 192, com os critérios, requisitos e os procedimentos para a celebração e o acompanhamento do TAC.

O documento foi submetido à Consulta Pública previamente.

Na regulação do serviço, a Agência constatou que a simples aplicação de multa a ser paga em dinheiro não assegura, necessariamente, a compensação aos usuários pela inconformidade que motivou a sanção, e que é necessário induzir os agentes infratores à mudança de comportamento esperada. A Portaria, então, foi crida levando em conta a necessidade de estabelecer instrumentos eficazes, empregados como alternativa à simples imposição de penalidades, com resultados mais satisfatórios para um serviço público de qualidade.

O TAC será um substitutivo de penalidades aplicadas, não se confundindo com simples anistia, pois prevê objetivos e metas a serem cumpridos pelos agentes.

Objetivos

O Termo será celebrado entre a Agepan e os agentes que tenham sido autuados, denominados de compromissários, tendo por base o Auto de Infração. Os objetivos são:

Para quem é operador legalizado: transformar as penalidades de multas aplicadas em investimentos, que resultem em melhorias diretas na prestação dos serviços aos usuários.

Para os demais agentes (como clandestinos que são flagrados praticando o serviço): cancelar penalidades de multas, visando adequar ou cessar a conduta de práticas irregulares recorrentes.

Ao ser assinado entre o transportador e a Agepan, o TAC, que é um ato administrativo negocial, extinguirá o respectivo processo administrativo, substituindo-o por novo instrumento de direitos e obrigações.

O TAC poderá ser proposto mediante requerimento do agente ou, de ofício, pela Agepan.  Uma Comissão de Análise e Acompanhamento será responsável pelo recebimento, andamento, avalização e fiscalização das propostas e dos TACs firmados.

O Termo

No TAC, deverá constar a relação dos investimentos previstos, a cargo do compromissário; o comportamento que se pretenda coibir, e que serviu de motivação para a celebração do TAC; e a obrigação de fazer e/ou não fazer imposta ao compromissário.

Na composição dos investimentos estabelecidos no TAC não serão considerados aqueles que os Agentes já estejam obrigados a realizar, por força de disposição contratual. Ou seja, o TAC transforma a multa em “investimento novo”, específico para compensar aquela multa que está sendo substituída.

Devem estar incluídas no Termo de Acordo, entre outras cláusulas: as obrigações do compromissário de cessar a prática de atividades ou atos objetos da apuração, no prazo estabelecido; e a determinação de corrigir as irregularidades, inclusive indenizando os prejuízos delas decorrentes.

O conteúdo completo da Portaria 192, estabelecendo o TAC, o modelo de requerimento e todas as informações aos interessados, está disponível em publicação no Diário Oficial do Estado e na página da Agepan na Internet.

Com a Portaria, foi também publicada a Minuta da Instrução Normativa 014, de uso interno da Agência, que estabelece os procedimentos a serem adotados pelas áreas envolvidas na celebração e fiscalização do TAC.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍTICA
Conass aponta falhas no combate à covid-19 e pede recursos ao Senado
SEGURANÇA PÚBLICA
Reinaldo Azambuja busca mais investimentos para segurança pública
PARANAÍBA
Polícia Militar prende homem por lesionar três pessoas com um canivete
ABRIL LARANJA
Neno fala sobre ações e importância de denunciar maus-tratos aos animais