sexta, 19 de julho de 2024
Estupro

'Amigo' de família é preso por estuprar garoto de 11 anos com deficiência

Ele também responderá por porte de droga

08 dezembro 2015 - 11h27Por Fonte: riobrilhantenews
Na noite de segunda-feira (7), por volta das 20 horas, um homem de 51 anos foi preso por estuprar um garoto de 11 anos e também por porte de drogas. Ele era amigo da família da vítima e abusou sexualmente do menino após levá-lo para 'passear'.

De acordo com a assessoria da PM (Polícia Militar), a Copom (Central de Operações Policiais) recebeu denúncia de uma mulher, informando que o filho, de 11 anos, portador de deficiência, foi até a casa de um conhecido e, quando voltou, estava com comportamento estranho. A mãe também disse que o garoto estava com secreção na região anal, indicando que ele teria sido estuprado.

A equipe do Getam (Grupamento Especializado e Tático em Ações Motorizadas) foi acionada para ir até a casa da mulher, fez contato com ela e com o menino e, em seguida, foi até a casa do homem de 51 anos. Na residência, apontada pela família da vítima, os policiais encontraram o homem em visível estado de embriaguez alcoólica que, a princípio, negou os fatos.

Os militares foram autorizados a entrarem na casa do homem e encontraram duas trouxinhas de maconha, que o morador negou ser de propriedade dele. Em depoimento breve, ele disse apenas que tinha levado o garoto para passear, parou em um bar da cidade, tomou umas garrafas de cerveja e voltou para a casa, negando que teria praticado qualquer ato de violência contra a criança.

Segundo a equipe policial, houve contradição nas afirmações do homem. O garoto de 11 anos foi encaminhado para o Pronto Socorro Ambulatorial, onde o médico plantonista constatou, mediante laudo, que a criança tinha sido violentada e apresentava hemorragia na região do esfíncter, musculatura anal.

O homem de 51 anos foi preso e encaminhado para a Delegacia de Polícia Civil, onde foi autuado em flagrante por estupro de vulnerável e porte de drogas. “Infelizmente, o caso é triste e nos comove muito, pois também temos filhos, mas trabalhamos na legalidade e reunimos a materialidade necessária para o desfecho do flagrante. Cabe agora ao Instituto Médico Legal e à Polícia Civil prosseguir com a investigação, concluir o inquérito e denunciar o acusado à Justiça, onde será julgado e condenado por seus atos”, disse o sargento que comandou as equipes da PM.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE

Em menos de sete meses, Influenza já mata mais em MS do que todo o ano passado

CIDADE E TRANSPORTES

Projeto obriga seguradora a justificar exclusão de motorista de carga em perfil de risco

REGIÃO

Três irmãos são resgatados em situação de abandono em Ponta Porã

SEGURANÇA

Proposta cria cadastro nacional de invasores de propriedades