Menu
Busca sábado, 25 de setembro de 2021
EMPREGO

Apesar da pandemia, MS teve saldo positivo de empregos em nove dos últimos 12 meses

01 maio 2021 - 08h45Por Portal Governo MS

Apesar da pandemia do coronavírus, Mato Grosso do Sul apresentou saldo positivo de empregos em nove dos últimos 12 meses, sendo que em março de 2021 obteve o terceiro melhor desempenho neste período. Isto mostra a evolução do Estado neste setor, com manutenção dos investimentos, equilíbrio e fomento à economia

Mato Grosso do Sul teve em março o saldo positivo de 5.152 empregos, o que é 66 vezes maior que o levantamento feito no mesmo período de 2020, que teve saldo de apenas 78 vagas de trabalho.  O saldo é a diferença das contratações e demissões ao longo do mês.  No caso de março deste ano foram de 23.867 novos empregos e 18.715 desligamentos de funcionários do mercado de trabalho.

Segundo os dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), Mato Grosso do Sul segue em expansão e com bons números na geração de empregos em 2021, com saldo positivo de 3.483 vagas em janeiro, 7.054 em fevereiro e 5.152 no mês de março, que coloca o Estado na primeira colocação nacional em termos percentuais (0,95%) no crescimento de empregos em relação ao estoque do mês anterior.

Na avaliação em relação ao ano anterior, em março de 2020 o saldo positivo foi de 78 vagas de trabalho, depois ficou em negativo de 6.992 em abril, subiu em maio e voltou para o saldo positivo de 1.433 no mês de junho. A evolução continuou em julho com 2.635, seguindo com 2.612 em julho.

No mês de setembro o saldo positivo de empregos chegou a 3.049, alcançando o patamar de 4.654 em outubro e 5.602 em novembro. Depois houve uma queda repentina para -1.933 em dezembro, mas a recuperação voltou em 2021, com 3.483 (janeiro), 7.054 (fevereiro) e 5.152 (março).

“A política de desenvolvimento econômico adotada pelo Governo do Estado tem mantido Mato Grosso do Sul em 2021 nos melhores rankings na geração de emprego a nível de Brasil”, afirmou Marcos Derzi, diretor-presidente da Funtrab (Fundação do Trabalho de Mato Grosso do Sul).

Ele ressaltou que os números refletem o incentivo à modernização na atividade econômica do Estado. “Com o uso da tecnologia para aumento da produtividade agropecuária, abertura de novas indústrias e os incentivos feitos pelo Governo, que gerou este cenário positivo, obtendo credibilidade para a vinda de novos investimentos no Estado e consequentemente, o crescimento dos empregos”, descreveu.

Resultado positivo

Os dados divulgados em março colocam Mato Grosso do Sul em 8° lugar na geração de empregos formais no País e na 12° colocação no acumulado do ano, contando os três primeiros meses de 2021. Já o crescimento de 2,98% em relação ao estoque de empregos do mês de dezembro (2020) comparado a 2021, deixa o Estado na 5° colocação nacional.

Foram criados em março 23.867 empregos, com 18.715 desligamentos (demissões). Levando em conta o saldo positivo, o setor de serviços teve 2.555, seguido pelo comércio (958), agropecuária (798), indústria (574) e construção (267).

Campo Grande foi a cidade que mais gerou novas vagas de emprego com 8.628, seguido por Dourados (2.580), Três Lagoas (1.700), Nova Andradina (599), Ponta Porã (540), Naviraí (499), Rio Brilhante (464), Corumbá (439), Costa Rica (433), Sidrolândia (386) e são Gabriel do Oeste (350).

O governador Reinaldo Azambuja novamente comemora o saldo positivo de empregos no Estado. “Isto é fruto do trabalho de todos. Da iniciativa privada e das ações do governo estadual, que sempre em conjunto visam ampliar as vagas de trabalho e assim trazer desenvolvimento ao Estado”.

No acumulado de abril de 2020 a março deste ano foram abertas 217.471 vagas de empregos, com o desligamento de 196.355 funcionários, o que chega a um saldo positivo de 21.116. Já no recorte apenas de 2021, de janeiro a março, são 68.721 novos empregos, com 52.871 demissões, tendo saldo de 15.850.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Microempreendedores têm menos de uma semana para regularizar dívidas
CRIME AMBIENTAL
PMA autua arrendatário paulista em R$ 32 mil por derrubar árvores e enterrar a madeira ilegalmente
ECONOMIA
Caixa paga hoje auxílio emergencial a nascidos em maio
OPERAÇÃO HÓRUS
Camionetes com mais de duas toneladas de maconha foram recuperadas pelo DOF