segunda, 22 de julho de 2024

Câmara realiza reunião com Administração de Ponta Porã sobre questões fundiárias

Câmara realiza reunião com Administração de Ponta Porã sobre questões fundiárias

25 novembro 2015 - 08h45Por Assessoria

Aconteceu na tarde desta segunda-feira, dia 23 de novembro, no plenário da Câmara Municipal de Ponta Porã, uma reunião da Comissão de Constituição, Justiça e Redação Final, e da Comissão de Economia, Finanças e Fiscalização, com o secretário de Administração da Prefeitura de Ponta Porã, Paulo Roberto da Silva, em que foram tratadas as questões fundiárias de Ponta Porã e do Assentamento Itamarati.

A reunião contou com a presença de moradores da região, dos jurídicos da Câmara e da Prefeitura, do presidente da Comissão de Justiça, vereador Caio Augusto e a vice, vereadora Profª Leny, do membro da comissão, vereador Marquinhos; o presidente da Comissão de Finanças, vereador Rony Lino, e o vice, vereador Otaviano Cardoso, além do vereador Daniel Valdez (Puka).

Sobre o projeto de lei de autoria do poder executivo que chegou para o legislativo neste mês para discussão quanto à alienação dos imóveis em Ponta Porã, foi assinado hoje durante a reunião um ofício solicitando a retirada dos projetos, garantindo desse modo que os moradores não percam suas casas. O documento foi encaminhado à prefeitura, que já sinalizou que será feita a retirada do mesmo.

Também foi tratado a respeito de como será feito o loteamento do Assentamento Itamarati, sendo que o secretário Paulo Roberto afirmou que o quanto antes entregará o plano que apresenta o ordenamento da região, que deve contar com toda infraestrutura necessária para o funcionamento de um município.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Início de operação da fábrica de Ribas do Rio Pardo consolida MS como vale da celulose

ECONOMIA

Mercado voluntário de carbono no Brasil recua em 2023

Dados são do Observatório de Bioeconomia da FGV

BRASIL

Conab recebe mais R$ 115 milhões para apoio à comercialização da agricultura familiar

DIREITOS HUMANOS

Cimi: políticas públicas ainda não frearam violência contra indígenas

Relatório cita fortalecimento e retomada de ações de fiscalização