Menu
Busca sábado, 27 de novembro de 2021
CONCURSO PÚBLICO

Governo abre processo seletivo para contratar analista previdenciário com salário de R$ 4,1 mil

26 outubro 2021 - 14h00Por Portal Governo MS

O Governo do Estado, por meio da SAD (Secretaria de Estado de Administração e Desburocratização), abriu processo seletivo simplificado para contratar analistas previdenciários, com salário mensal de R$ 4,1 mil. As inscrições começaram nesta terça-feira (26) e seguem até o dia 29 de outubro.

Os interessados devem fazer a inscrição pela internet, no site www.concursos.ms.gov.br. Ao todo são três vagas abertas e o candidato precisa ter curso superior, com graduação em Psicologia, para trabalhar na Ageprev (Agência de Previdência Social de Mato Grosso do Sul), no município de Campo Grande.

Os candidatos terão que passar pela etapa de avaliação curricular e entrevista pessoal, em duas fases de caráter eliminatório. A previsão é que a entrevista ocorra no dia 19 de novembro e a publicação final dos aprovados no concurso seja no dia 30 de novembro deste ano.

Os contratados terão que cumprir uma carga horária de 40 horas semanais e terão período de contratação estipulado em um ano, podendo ser prorrogado ou rescindido a qualquer tempo. Entre suas funções está identificar determinantes da saúde mental dos servidores, elaborar documentos psicológicos para laudos, pareceres e relatórios, aplicar testes e avaliar exame de estado mental, entre outros.

O processo seletivo será realizado sob responsabilidade da Secretaria de Estado de Administração e Desburocratização (SAD), em conjunto com a Agência de Previdência Social de Mato Grosso do Sul (Ageprev). O certame foi publicado nesta terça-feira (26), no Diário Oficial do Estado.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
Saúde avalia inclusão de remédios para tratamento da Hemofilia A
LEGISLATIVO DE MS
Neno Razuk solicita reforma na lavanderia comunitária em Dourados
POLÍTICA
Presidente diz que Brasil e o mundo não aguentam um novo lockdown
ECONOMIA
"Estamos perto de ver o topo da inflação", diz presidente do BC