Menu
Busca segunda, 12 de abril de 2021
Dourados

Judiciário precisa de R$ 7 mil para o Natal nos abrigos de Dourados

25 novembro 2014 - 08h38Por Fonte: douradosagora
A Vara da Infância, Ministério Público e Grupo de Apoio à Adoção de Dourados precisam de R$ 7 mil para fazer o Natal de 65 crianças que estão nos quatro abrigos da cidade. Para isto, o judiciário lançou a campanha “Faça a Diferença”, que é vinculada ao Projeto Padrinho. De acordo com a coordenadora do projeto em Dourados, Vânia Serra, os recursos arrecadados serão destinados para realizar uma boa festa de Natal para as crianças, além de garantir que cada uma tenha um presente no valor de R$ 100. “No dia 10 de dezembro, as crianças serão levadas para a Havan, onde fizemos parceria e lá, elas escolherão presentes com o cupom vale que receberão”, destaca.

Vânia conta que o objetivo é levar alegria para as crianças dos abrigos, que são vítimas do abandono, da desestruturação familiar, ou sofreram violência por aqueles que as deveriam proteger. “Antes da campanha, víamos que algumas crianças até conseguiam passar o natal com um parente, como uma avó, por exemplo, mas a maioria não tinha esta oportunidade. Então, decidimos que todas deveriam ter o direito comemorar o Natal e resolvemos mobilizar a sociedade para nos ajudar nesta causa. O projeto existe desde 2009 e de lá para cá, nunca mais nenhuma criança dos abrigos deixou de celebrar a data”, conta.

Conforme Vânia, o interessado deve adquirir cotas de R$ 100 e R$ 50. Aqueles que queiram fazer doações em produtos também podem entrar em contato na Vara da Infância para ser informado sobre o que comprar. “Entidades como o Ministério Público Estadual já garantiu todo o cachorro quente da festa. É um exemplo de quem não pode contribuir com dinheiro”, destaca.

Abrigos

As 65 crianças e adolescentes abrigadas estão distribuídas em quatro entidades de acolhimento, que são fiscalizadas pelo Núcleo de Orientação e Fiscalização (Nof). Conforme o órgão, o maior índice de acolhimento está relacionado aos pais envolvidos em tráfico de drogas, violência doméstica, abandono e negligência.

O Lar Santa Rita atende crianças de até 7 anos. O Ebenezer é um abrigo feminino para crianças de 7 a 14 anos. O Renascer é o único governamental e atende crianças de 14 a 18 anos. O Instituto de Amparo ao Menor (Iame) é masculino e atende até os 18 anos.

Programas

A Vara da Infância de Dourados, representada pelo Juiz Zaloar Murat Martins, oferece três principais projetos de adoção, auxílio e bem-estar das crianças abrigadas em Dourados. O “Adotar” faz triagem com os casais interessados em crianças já destituídas do poder familiar. Criado em setembro de 2005, tem uma média de adoções de 2 a 3 crianças por ano. A coordenadora do projeto, Aparecida Harumi Nakano Oshiro, explica que, para adotar, os casais passam por triagem e curso de adaptação.

As orientações acontecem nas últimas sextas-feiras do mês, das 15h às 17h, no Fórum. Segundo Aparecida, a principal dificuldade é que a maioria dos casais se interessam por crianças recém-nascidas ou com, no máximo, um ano. Isto faz com que as maiores permaneçam mais tempo nos abrigos.

Padrinho

O Projeto Padrinho, existe desde 2003 em Mato Grosso do Sul e há cinco anos em Dourados. Beneficia crianças que moram nos abrigos e as que estão em situação de risco, inclusive assistidas pela Vara da Infância e Juventude de Dourados.

Qualquer pessoa acima de 18 anos pode se cadastrar como padrinho. Não há limite de vagas. A função do apadrinhamento é contribuir de alguma maneira com a criança. Fica a critério do padrinho o tempo e tipo de ajuda, que pode ser material, afetiva, profissional e educacional.

Pai de verdade

Criado em outubro de 2007 na Comarca de Dourados, o projeto Pai de Verdade tem como foco informar e conscientizar os pais da importância do reconhecimento de seus filhos.

No ano passado, 44 mães receberam algum tipo de informação sobre a importância de seu filho ter o nome do pai no registro de nascimento e como proceder para que o reconhecimento da paternidade aconteça. Em 12 casos não foi possível localizar o suposto pai, uma vez que a mãe não tinha conhecimento do seu paradeiro, impossibilitando qualquer tipo de atuação do projeto. Por outro lado, foram realizados 40 encaminhamentos.

Serviço

Os interessados em adquirir cotas para os presentes das crianças podem entrar em contato na Vara da Infância através dos telefones: 3902 2992, 3902 1773, 3902 1734.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MEIO AMBIENTE
PMA de Aquidauana captura terceiro jacaré passeando pelas ruas da cidade neste ano
INTERNACIONAL
China quer trabalhar com o Brasil para promover parceria estratégica
FÁTIMA DO SUL
PMA fecha serralheria por emissão de sons acima do previsto em lei prejudicando a vizinhança
AÇÃO DE GOVERNO
Ritmo das obras intensifica no Estado, com mais de 80 trabalhos só na área urbana