Menu
Busca domingo, 16 de maio de 2021

Ludimar informou que na tarde desta quinta-feira estará anunciando os secretários que vão compor a equipe de governo a partir de janeiro de 2013

Ludimar informou que na tarde desta quinta-feira estará anunciando os secretários que vão compor a equipe de governo a partir de janeiro de 2013

19 dezembro 2012 - 16h05
Redação - Dora Nunes

O prefeito eleito Ludimar Novais (PPS) esteve na rádio Cerro Corá 91.5 FM de Pedro Juan Caballero, no Programa FM em Notícias apresentado pelo jornalista Tião Prado nesta quarta-feira, dia 19, para conceder entrevista tratando de assuntos relacionados a gestão administrativa do município de Ponta Porã para os próximos 4 anos.

Confira na íntegra a entrevista:


TP- Gostaria que o senhor fizesse uma avaliação do seu mandato de vereador:

Ludimar- É uma avaliação positiva. Nós tivemos uma atuação dentro da Câmara Municipal nos últimos 4 anos onde pudemos apresentar projetos que entendíamos ser necessários e importantes e de interesse da nossa população e conseguimos fazer com que esses projetos fossem aprovados; mantivemos um bom relacionamento com nossos colegas vereadores onde todos se empenhavam em fazer o melhor por Ponta Porã e acredito que foi uma legislatura com saldo positivo.



TP- Ao ser eleito vereador, o senhor iniciou uma estratégia para um mandato de prefeito e pergunto se existiu alguma rejeição em relação a essa meta.

Ludimar – Não existe rejeição, acho que cada um tem que traçar suas metas e seguir em busca de seus objetivos e nós fomos em busca do nosso. A população de Ponta Porã é sempre muito receptiva, aberta a novos projetos e novas pessoas que queiram contribuir e nesse sentido eu acredito que foi positivo, não só pelo fato de nós termos conseguido o nosso objetivo mas também pela nossa atuação na Câmara Municipal, onde foi facilitado em função das reuniões que fazíamos, do contato direto que tínhamos com a população que passava os problemas dos bairros, ruas, sistema de saúde, onde convertíamos esses problemas nas nossas indicações. Então, uma coisa casou com a outra. Nós tínhamos um contato direto com a população o que facilitou e contribuiu muito com nosso trabalho no legislativo.



TP – Na primeira pesquisa divulgada no jornal, o candidato Álvaro Soares apresentava um índice de 47%, em segundo o candidato Hélio Peluffo Filho com 16% e o senhor com 5%. Essa pesquisa ao ser divulgada em algum momento o desanimou?

Ludimar – Na verdade nenhuma pesquisa jamais me desanimou uma vez que a pesquisa espelha um momento e naquele momento era natural que o Álvaro estivesse na frente em função de ter a mais tempo uma história política e natural também que o candidato que tinha o apoio do prefeito e que atuou por aproximadamente 7 anos e meio numa pasta importante estivessem melhor colocado, mas nada inviabilizaria que pudéssemos expor nossos projetos a população de Ponta Porã e crescer através de aceitação.



TP- Vários grupos políticos já estavam formados quando o senhor iniciou o seu grupo. Teve alguma dificuldade?

Ludimar – Acho que o mais difícil é a composição que acontece de janeiro até o final das convenções em junho. É complicado porque você tem que afinar muitos interesses, conversar muito, tem que articular, então a montagem do grupo, das coligações é a parte mais complicada e nós trabalhamos muito para conseguir montar essa nossa base que foi os 12 partidos que nos permitiam até, inclusive, ter o maior tempo de televisão e conseguimos montar um grupo com partidos importantes como o PT, PDT, PV, PSD e partidos menores que também contribuíram, porque entenderam que era um projeto novo, que era hora de colocar Ponta Porã num novo caminho e que era hora de oxigenar a nossa política.



TP – A vinda do Partido dos Trabalhadores foi importante para a sua coligação?

Ludimar – Fundamental. Um partido que tem uma penetração muito grande, um partido que é governo federal, que no Estado tem deputados federais, tem senador, e eu diria que é o maior partido País hoje, pode até não ser em números de deputados, mas é em poder e influência e com certeza, essa influência que o partido demonstra principalmente nos assentamentos foi decisiva nessa eleição e essa foi uma leitura que fizemos antes das convenções, por isso foi feita todas as tratativas para se trazer o PT, pois entendíamos que essa eleição seria definida na área rural.



TP – Durante a campanha o senhor recebeu várias críticas em relação a sua vice, o que tem a dizer sobre isso?

Ludimar – Digo que nunca tivemos nenhum tipo de desentendimento, desde o início temos uma relação muito boa, muito produtiva onde cada um tinha sua missão para cumprir e cumprimos de forma bastante eficiente. Tínhamos sim agendas separadas para um maior resultado e em relação as críticas, isso é normal durante uma campanha com o objetivo de desestruturar.


TP – Em relação ao apoio diverso que teve em sua campanha de autoridades e também a sua visita ao senador Delcídio em Brasília, tem algumas promessas, como está?

Ludimar – Foram e são parceiros. Nós já estivemos em Brasília em duas oportunidades visitando gabinetes e temos já compromissos de emendas de bancadas colocadas pelo deputado Vander Loubert, Reinaldo Azambuja e Mandetta. Conversamos também com nosso senador Delcídio do Amaral que está trabalhando para que possamos ter recursos para pavimentação do anel viário e juntamente com emenda do Geraldo Rezende para a construção de uma unidade mista de saúde no assentamento Itamarati já com especialidade, sendo essa uma reivindicação daquela população. Girotto também se comprometeu em arranjar verbas para pavimentação e infra-estrutura e a conversa continuará.



TP- O senhor apoiou o deputado Paulo Corrêa e teve o respaldo dele.

Ludimar – Acredito que na política é assim, construindo relacionamentos com credibilidade, mantendo sua palavra e nesse sentido o Paulo Corrêa sempre foi um grande companheiro, desde o início do nosso mandato e ao apoiá-lo cremos que fizemos a coisa certa e a ideia é continuar com essa parceria, mesmo não sendo do nosso partido, mas temos afinidades.



TP- E em relação ao secretariado?

Ludimar – A minha equipe está formada e faremos como o prometido, com o anúncio amanhã, dia 20, em coletiva, às 16 horas na Rua Joaquim Pereira Teixeira, n 707.



TP – E em relação a eleição da Câmara de Vereadores? Inclusive já tem algumas críticas no jornal.

Ludimar – Como na campanha onde não nos manifestávamos com o que saía na imprensa, da mesma forma acredito que é uma informação precipitada que está colocada no jornal e de fato, exista essa situação, a nossa posição em relação a eleição da Câmara é de profundo respeito. Acho que a forma como as duas instituições tem que trabalhar é em parceria mas sempre respeitando a independência então os vereadores tem total autonomia para decidir os seus caminhos e dentro do que nós nos comprometemos e ter o melhor relacionamento com os vereadores e o que está posto no jornal acredito ser de cunho pessoal.



TP- Mas o prefeito quer fazer o presidente da Câmara ou os deixará a vontade?

Ludimar – Se formos procurados poderemos fazer a intermediação, conversas, mas nunca interferir diretamente, acho que isso não pode acontecer. Não é salutar a interferência de um poder sobre o outro.



TP – Em relação ao funcionalismo público e a equipe de transição?

Ludimar – Está tudo tranquilo. Estamos tendo acesso. As pessoas designadas para esse trabalho já estão entrando nas secretarias, tomando conhecimento da situação, das pessoas que trabalham, dos documentos, dos projetos, dos convênios, tudo que a Prefeitura tem e não pode parar, tem que dar continuidade no começo do ano, principalmente os serviços essenciais. Qualquer problema a equipe entra em contato com o prefeito Flávio Kayatt e com o secretario de governo Márcio Cruz e acredito que estamos caminhando bem e após a anunciação do secretariado estes poderão se integrar cada vez mais com suas pastas e a partir do dia 1 o serviço poderá fluir normalmente.



TP – E como está a distribuição das secretarias?

Ludimar – Tudo está bem distribuído com contemplação de todos os partidos da coligação. Tem nomes com competência e condição de dar sua contribuição para que nossa administração seja boa nas pastas em que foram designados e estamos trabalhando em conjunto para formarmos um secretariado que seja técnico, político e humano também, e todos nossos secretários terão essa orientação de tratar as pessoas com a maior cordialidade possível.



TP – E em relação aos contratados?

Ludimar – Avaliações individuais será feitas. Na verdade vamos equacionar a necessidade da Prefeitura nessas contratações ficando a cargo do secretario avaliar a necessidade de cada pasta tendo a orientação de que é preciso enxugar um pouco a nossa folha, pois a folha hoje está em 6 milhões de reais e acredito que exista margem para que a gente possa reduzir um pouco.
Finalizando, Ludimar Novais agradeceu o espaço dizendo que estará trabalhando de forma harmônica e desejo um feliz natal a toda a população.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PONTA PORÃ
PM apreende veículo com mais de 130 kg. de droga
JUSTIÇA
Ministério vai retomar implantação de sistema de apoio ao consumidor
SAÚDE
Queiroga diz que ministério estuda campanha de testagem contra covid
CIDADE
Detran de Dourados terá novo bloco para campanhas educativas e Central de Exames