Menu
Busca terça, 20 de abril de 2021
Ponta Porã

Presídio Masculino de Ponta Porã ganha 84 vagas; próxima etapa de ampliação deve abrigar mais 120 internos

Presídio Masculino de Ponta Porã ganha 84 vagas; próxima etapa de ampliação deve abrigar mais 120 internos

20 dezembro 2014 - 10h45Por Notícias MS
O Presídio Masculino Ricardo Brandão, localizado no município de Ponta Porã, ganhou mais de 200 metros quadrados de área construída, com sete celas, solário e ainda portaria interna e externa. A obra, que resultou na ampliação de 84 novas vagas, contou com o apoio dos próprios internos que trabalham na olaria da unidade, oficina onde são fabricados diariamente quase mil tijolos e que foram utilizados na ampliação do estabelecimento penal.

A obra integra etapas de ampliação do presídio, que recebeu nesta primeira fase investimentos de R$ 485 mil. Outro bloco está sendo construído e deve abrigar mais 120 internos. A previsão de entrega é até o início do ano que vem. A unidade vai contar com mais dez celas, com solário, cozinha industrial, consultórios médicos e odontológicos. As obras estão em estágio adiantado.


Conforme o diretor do Presídio de Ponta Porã, Rodrigo Borges Marques, na oficina de tijolos ecológicos trabalham cerca de 30 detentos. Eles são selecionados por uma triagem que verifica o perfil e potencial de cada um para desempenhar a função. Com máquinas cedidas pela prefeitura municipal, os detentos fabricam o material que é utilizado na edificação de novos espaços.

“Com esse trabalho já fizemos uma escola, cela de isolamento e sala da direção. Mais do que isso, o nosso objetivo é que os detentos saiam dos muros da unidade penal com uma profissão e eu mesmo já recebi a visita de uma pessoa que voltou para agradecer a oportunidade que teve aqui”, comentou Rodrigo Borges. Na unidade, duas salas de aula foram construídas, uma para ensino e outra para curso profissionalizante. Este ano já foram formados 16 marceneiros e 12 pedreiros.


Mais vagas


No início de 2007 existiam em todos os presídios do Estado 4.216 vagas. Com investimentos do Estado, governo federal e do Poder Judiciário, esse número dobrou. O objetivo é chegar a mais de nove mil vagas nos estabelecimentos penais até o ano que vem.

De acordo com a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), os recursos somam mais de R$ 778 milhões e estão previstos outros R$ 52 milhões em recursos da União, com contrapartida de R$ 12 milhões do Estado, para a construção de três novas cadeias públicas no Complexo da Gameleira, localizado em Campo Grande. Obras de duas delas já começaram e devem ser concluídas até o ano que vem com a oferta de 1.600 novas vagas no sistema prisional.

Parcerias

Em seu discurso, o governador André Puccinelli disse que o governo do Estado investiu muito na área de segurança pública, mas que não conseguiu realizar tudo o que gostaria. Ele destacou a importância de parcerias, a seis mãos, entre o Poder Legislativo, Judiciário e Executivo. “Por meio desta parceria com o tripé da democracia conseguimos minimizar os problemas. Governamos a seis mãos e mostramos que o Executivo tinha boas ideias”, disse. A iniciativa de utilizar a mão de obra dos detentos dando a oportunidade de aprender uma profissão foi destacada pelo governador. “É um projeto que dá mais dignidade ao detento que vai aprender e terá algo a fazer dentro da unidade”.





Parceira da iniciativa, a Prefeitura de Ponta Porã hoje colhe frutos deste novo momento da unidade penal da cidade. O prefeito Ludimar Novais participou da inauguração dos novos espaços e destacou que eram preocupantes as notícias que se tinham daquela unidade há tempos atrás. Os investimentos e o trabalho do governo do Estado ajudaram a mudar este cenário. “Agradecemos ao Estado por ter voltado os olhos a esses problemas. Houve uma transformação completa em função do trabalho deste governo e da direção da unidade. A prefeitura aproveita e muito este novo momento e este trabalho realizado aqui é fantástico. Cada tijolo é uma obra de arte”, observou.


Esta parceria vem dando tão certo que a cidade do Natal montada no Parque dos Ervais contou com a mão de obra dos detentos da unidade penal de Ponta Porã. Com materiais como PVC e ferragem, os internos fabricaram casas, mercadinho, igreja e a casa do Papai Noel montada no complexo de lazer da cidade.

Presente na solenidade de inauguração, a coordenadora das Varas de Execução Penal do Tribunal de Justiça (Covep), desembargadora Tânia Garcia Freitas, elogiou o projeto realizado naquela unidade penal. “Com esta iniciativa, os detentos conseguem exercer na sua plenitude a cidadania. Eles têm a possibilidade de se profissionalizar e ter uma vida digna. Isso é humanizar os presídios e representa para o Poder Judiciário a possibilidade de haver a diminuição considerável da reincidência”, avaliou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PONTA PORÃ
Veículo que seguia para Brasília com maconha foi apreendido pelo DOF
SAÚDE
Sancionada lei sobre remessa de patrimônio genético ao exterior
CORONAVÍRUS
MS participa de consórcio para compra de 28 milhões de doses de vacina contra Covid-19
INTERNACIONAL
Vacina russa Sputnik V tem eficácia de 97,6% em estudo no mundo real