sábado, 24 de fevereiro de 2024

Saiba quem levou mais torcida ao estádio no futebol sul-mato-grossense

Saiba quem levou mais torcida ao estádio no futebol sul-mato-grossense

02 maio 2012 - 12h12
G1 MS

Qual clube atraiu mais torcedores ao estádio no campeonato sul-mato-grossense deste ano? Quem conseguiu a maior renda? E quem ficou com as arquibancadas vazias? A reportagem do GLOBOESPORTE.COM foi atrás das respostas e apresenta um levantamento exclusivo sobre o público e a renda da principal competição do futebol estadual.

Os números são baseados nos borderôs divulgados pela Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul (FFMS), e se referem aos 84 jogos disputados na primeira fase - entre os dias 11 de fevereiro e 8 de abril. Em números absolutos, a 1ª fase gerou receita de R$ 318 mil aos cofres de 14 times. Mais de 48 mil pessoas compareceram aos estádios em 12 cidades.

Líder de público na primeira fase, o Aquidauanense atraiu 6,8 mil torcedores em seis jogos disputados no estádio Noroeste. Em seguida, o Misto aparece com 6,5 mil torcedores em seis partidas no estádio Madrugadão, em Três Lagoas.

Águia Negra e Sete de Dourados também fizeram bonito, levando mais de 5 mil pessoas às arquibancadas em casa na primeira fase.


O time de Aquidauana também lidera no quesito arrecadação, com R$ 48,6 mil, seguido de Sete de Dourados (R$ 46,7 mil), Misto (R$ 42,6 mil) e Naviraiense (R$ 29,9 mil).

Nem sempre a equipe que arrasta mais torcedores ao estádio é a que mais arrecada. Isso pode ser explicado pelo valor que cada clube cobra pelo ingresso. Embora o Águia Negra tenha atraído maior número de torcedores do que o Naviraiense (diferença de 1 mil pessoas), o time de Rio Brilhante cobrou em média R$ 6,99 por pessoa. A média em Naviraí foi superior: R$ 9,58.


Na outra ponta, os três times de Campo Grande decepcionam quando o assunto é torcida. O MS Saad viu apenas 911 torcedores em seis jogos no estádio Jacques da Luz. O Maracaju levou ao estádio Loucão pouco mais de mil pessoas. O Comercial-MS, maior campeão estadual em atividade na Série A, teve público de 1,6 mil torcedores em seus jogos, também no Jacques da Luz. E o Cene, atual campeão e que este ano vai disputar a Série D do Brasileirão, atraiu 1,8 mil adeptos ao Olho do Furacão.


Os quatro piores no quesito torcida também vão mal na arrecadação: MS Saad (R$ 4 mil), Maracaju (R$ 7,1 mil), Comercial (R$ 9,9 mil) e Cene (R$ 13,6 mil). Se fosse somada, a renda dos lanternas seria inferior à do líder Aquidauanense.

Dia e hora ideais

Alguns times costumam reclamar da realização de jogos às quartas-feiras, argumentando que a torcida não comparece tanto como em jogos nos finais de semana. Mas a diferença não é tão grande. A média geral de público na quarta-feira foi de 526 torcedores por jogo, ligeiramente inferior à média do domingo (594) e do sábado (630). O que interfere de fato é o horário.

Enquanto que a média de público nos jogos à tarde (15 e 16 horas) foi de 450 pessoas, no período noturno (19 e 20 horas) é bem superior: chega a 790 pessoas por jogo.

Este ano, pela primeira vez a TV Morena transmitiu partidas do campeonato sul-mato-grossense, e a cobertura ao vivo ajudou a colocar mais torcedores nos estádios. O jogo de maior público na primeira fase foi a vitória do Misto sobre o Comercial-MS, no dia 11 de março, com 1.904 torcedores em Três Lagoas. A partida de maior renda também foi vista na tela da emissora. O Sete de Dourados arrecadou R$ 13,9 mil na derrota por 2 a 1 em casa para o Ivinhema, em 12 de fevereiro.

Opinião dos clubes

O diretor do finalista Águia Negra, Jean Kleber, comemora o comparecimento da torcida nos jogos do time e ressalta que o público cresce a cada ano.

- Cada ano que passa, a torcida vem aumentando em Rio Brilhante e está bem variada, como pessoas mais velhas e mais novas. O trabalho do torcedor com o Águia Negra está de parabéns.

Para os dirigentes dos clubes da capital sul-mato-grossense, não há o que comemorar. O presidente do Cene, José Rodrigues, classifica como muito exigente o torcedor campo-grandense.


- O torcedor de Campo Grande exige um pouco mais das equipes, que estejam em uma divisão superior, principalmente nas competições nacionais. E como nós ainda estamos na última divisão do futebol brasileiro, é bem possível que isso tem contribuído para o afastamento do torcedor dos estádios.
Mais enfático na lamentação e na crítica, o dirigente do Comercial, Carlos Alberto Assis, condiciona a melhora do desempenho dos times ao apoio da torcida. Para o presidente comercialino, o torcedor é a peça fundamental para reerguer o futebol de Campo Grande.

- Para formar um bom time, primeiro o torcedor tem que comparecer, porque a diretoria tem que sentir motivada, tem que ter recursos. Com o torcedor enchendo os estádios, o patrocinador vem e, consequentemente, o time terá bons jogadores.

Propostas da Federação

Para a Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul (FFMS), os números de público e renda do campeonato estadual são positivos, mas ainda há muita coisa a se melhorar. O vice-presidente da entidade, Marco Antônio Tavares, diz que os clubes têm a responsabilidade de buscar saídas para motivar o torcedor a comparecer aos estádios e, com isso, arrecadar cada vez mais com a venda de ingressos. Algumas sugestões já foram apresentadas aos dirigentes.
- Penso que nossas equipes deveriam trazer jogadores de renome nacional, com trajetórias ligadas a grandes clubes. Em outros estados, isso tem sido feito, como em Alagoas e Goiás, onde Túlio Maravilha atuou no ano passado. Além disso, os times locais poderiam firmar parcerias com o comércio da cidade, para que o torcedor pudesse trocar notas fiscais por ingressos.


A FFMS também tenta fazer sua parte para manter o futebol profissional em atividade durante o ano inteiro.
- Queremos implantar um calendário no segundo semestre para manter os clubes mobilizados e organizados. Já fizemos a Copa MS, de outubro a dezembro de 2010, mas não vingou. Será uma coisa importante para que os clubes possam dar sequência ao trabalho.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PARAGUAI

Polícia paraguaia identifica morto durante confronto com grupo de 'Macho'

EDUCAÇÃO

Com a agenda cheia, governador acompanha volta às aulas de perto no interior de MS

GERAL

Mega-Sena pode pagar hoje prêmio de R$ 110 milhões

SEGURANÇA

Polícia Científica de MS participa de curso para aprimoramento em análise ambiental do MP