Menu
Busca segunda, 21 de junho de 2021

Caravana de MS conta com cerca de 35 prefeitos em Brasília

Caravana de MS conta com cerca de 35 prefeitos em Brasília

15 maio 2012 - 14h20
Douradosagora


O presidente da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), Jocelito Krug (PMDB), lidera uma caravana de cerca de 35 prefeitos durante a XV Marcha à Brasília em Defesa dos Municípios.

Entre outros temas a ser discutido durante o movimento municipalista organizado pela CNM (Confederação Nacional de Municípios), está à proposta que prevê a redistribuição igualitária dos royalties do petróleo na camada Pré-sal.

A presidente Dilma Rousseff participa do evento que será aberto na manhã desta terça-feira (15), no Hotel Royal Tulip Brasília Alvorada.

A abertura oficial está marcada para às 10h30 (horário de Brasília) e os trabalhos devem começar com a entrega de prêmios para os 10 gestores mais bem colocados no IRFS (Índice de Responsabilidade Fiscal, Social e de Gestão dos Municípios Brasileiros) pelo presidente da CNM, Paulo Ziulkoski.

Ainda na terça-feira, a programação conta com um Seminário Nacional: Os Municípios como Protagonistas no Enfrentamento ao Crack, às 14h.

O seminário prevê a participação do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo e do ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

Para Jocelito Krug, o movimento liderado pela CNM é o fórum ideal para um grande debate com parlamentares e autoridades governamentais.

Segundo o presidente da Assomasul, a não aprovação da nova regra de distribuição dos royalties em 2012 pode provocar R$ 3,1 bilhões de perda para o FEP[Fundo Especial do Petróleo] dos municípios.

Somente Mato Grosso Sul perderia aproximação R$ 31 milhões caso uma nova proposta em tramitação na Câmara dos Deputados seja aprovada, ou seja, R$ 14 milhões para o Estado e R$ 17 milhões para os municípios.

A nova proposta foi apresentada pelo deputado Carlos Zarattini (PT-SP), relator do grupo de trabalho indicado pelo presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS).

Essa proposta aumenta o repasse para apenas 311 municípios, enquanto outros 5.253 perdem recursos em relação à proposta aprovada pelo Senado.

O prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad (PMDB), por exemplo, calcula uma redução de mais de 2,336 milhões caso o novo projeto substitutivo seja aprovado.

Ainda segundo a CNM, Dourados terá um prejuízo financeiro de R$ 948 mil, enquanto Três Lagoas, R$ 525 mil e Corumbá R$ 560 mil, na eventualidade de aprovação do novo texto.

O ideal, segundo Krug, é que a Câmara aprovasse o projeto 2.565/2011 do senador Vital do Rego (PMDB-PB), que permite uma divisão mais justa dos recursos dos royalties aos municípios não produtores.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
Avião com 1,5 milhão de doses da Janssen chega amanhã, diz ministro
PONTA PORÃ
Camionete roubada em Brasília é apreendida pelo DOF
OPORTUNIDADE
Processo Seletivo para contratação de Analista de Medidas Socioeducativas está com inscrições aberta
INVESTIGAÇÃO
Polícia descarta latrocínio e investiga morte de mulher em Dourados por execução