Menu
Busca sábado, 31 de julho de 2021

Empresas faturam milhões com edição brasileira do UFC

24 agosto 2011 - 13h00Por Fonte: Matéria
Empresas faturam milhões com edição brasileira do UFC

A realização do UFC Rio neste sábado (27) já movimenta diversos setores da economia no país. O evento de MMA (sigla em inglês para Artes Marciais Mistas), antes conhecido como vale-tudo, reúne os principais atletas da modalidade no mundo.

A organização do UFC acredita que apenas o evento realizado no Rio de Janeiro deva movimentar até US$ 50 milhões.

Considerada uma das marcas esportivas mais valiosas dos EUA, as lutas do UFC são transmitidas para 147 países.

Empresários atentos ao crescimento do esporte aproveitam a chegada do evento ao Brasil para lucrar. Responsável pelo licenciamento da marca UFC na América Latina, a Exim negocia mais de 300 produtos relacionados ao evento.

“Deveremos ter um faturamento de US$ 130 milhões no Brasil em 2011. Para o próximo ano, a ideia é distribuir até 500 produtos com a marca”, disse o diretor geral da empresa, Marcus Macedo.

Empresa lucra com venda de artigos esportivos
A marca de artigos esportivos Pretorian, especializada em equipamentos e artigos para a prática de artes marciais cresceu 180% nos primeiros cinco meses do ano, em comparação com o mesmo período de 2010.

De acordo com um dos sócios da marca, Ruy Drever, além da recente abertura de uma loja conceito na rua Oscar Freire, conhecido ponto de luxo de São Paulo, a empresa espera ter outros 40 pontos de venda nas principais capitais do país.

“A vinda do UFC traz uma sustentação para o segmento, e a alta taxa de crescimento deve continuar. Nossa ideia é também abrir uma loja nos EUA”, declarou.

Academias oferecem aulas de MMA até para crianças
Os mais empolgados com as lutas do MMA não conseguem apenas assistir aos combates. A procura por aulas da modalidade tem aumentado em academias de todo o país.

Para o proprietário da academia paulistana Barbosa Jiu-Jitsu, Francisco Nogues, o UFC Rio foi o grande responsável pelo aumento do movimento durante este inverno, época normalmente fraca nas academias.

"Nesta época do ano, o número de alunos tradicionalmente diminui. Com a chegada do UFC, ocorreu o inverso. A procura por aulas de MMA tem sido tão grande que aumentamos o número de alunos mesmo com o frio", disse.

E não é necessário ter experiência para começar a praticar a luta. Para Nogues, o MMA pode ser praticado até mesmo por crianças.

"O MMA é uma modalidade que pode ser praticada por pessoas de todas as idades. A partir dos 10 anos já é possível fazer aulas. Temos alunos de até 50 anos praticando o esporte", declarou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Aneel: bandeira tarifária de agosto se manterá vermelha
BR-262
Homem morre ao ficar preso entre as ferragens após carro cair em valeta de rodovia no MS
POLÍCIA
Drone, drogas e celulares são apreendidos pelo DOF momentos antes de chegarem aos internos da PED
SAÚDE
Covid longa: pacientes 'recuperados' podem ter problemas de raciocínio e memória, aponta pesquisa