Menu
Busca sábado, 08 de maio de 2021

Governo ainda aguarda verba para recuperação de ponte no rio Paraguai

23 agosto 2011 - 18h00
Governo ainda aguarda verba para recuperação de ponte no rio Paraguai

Campograndenews

O Governo de Mato Grosso do Sul ainda não recebeu os recursos solicitados ao Governo Federal para a recuperação da ponte sobre o rio Paraguai, após o abalo na estrutura ocorrido em maio deste ano. Foram solicitados R$ 14 milhões.

Hoje de manhã, o governador André Puccinelli (PMDB), disse que a AGU (Advocacia Geral da União) aprovou parecer para que seja usado dinheiro da União na obra de recuperação. Segundo ele, a previsão é que sejam usados recursos do pedágio cobrado na ponte para abater o investimento a ser feito pelo Governo Federal.

Enquanto o recurso não sai, a ponte continua com restrições ao tráfego, conforme decreto publicado hoje, prorrogando a situação de emergência, que havia sido decretada em maio. Um vão de 11 centímetros se abriu na ponte após uma barcaça atingir o dolfin, uma espécie de caixa de concreto, que protege um dos pilares da estrutura.

Restrições - Hoje, a velocidade máxima permitida na ponte é de 40 km e quando passam veículos com mais de três eixos, deve haver um intervalo de cem metros entre eles. Caminhões com minério de ferro são vetados.

O superintendente de Integração e Gestão de Obras da Agesul (Agência de Empreendimentos de Mato Grosso do Sul), Paulo Montilha, informou que estão sendo feitos estudos para a abertura da licitação para contratar a empresa responsável pela obra.

Segundo ele, apesar das restrições, o tráfego ponte está ocorrendo sem fila. Por dia, de acordo com ele, cerca de mil veículos passam pelo trecho, com destino a Corumbá e à Bolívia.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
Segunda etapa da vacinação contra influenza começa na próxima semana
CRIME AMBIENTAL
PMA de Bonito e Iagro autuam dono de chácara em R$ 2,6 mil por criação ilegal de javalis
SAÚDE
Pesquisa revela que 1,3 mil municípios ficaram sem segunda dose
Número representa 45% das prefeituras que responderam à sondagem
MS
Ex-marido acusado de feminicídio vai a júri popular