sexta, 23 de fevereiro de 2024

Igualdade racial de negros e índios é pauta de debates na UEMS

Igualdade racial de negros e índios é pauta de debates na UEMS

19 abril 2012 - 09h21Por Uems
Nesta quarta-feira, dia 18 de abril, o principal tema de reflexão na UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul), unidade de Dourados, foi igualdade racial. Uma manifestação indígena e um produtivo debate sobre história e cultura da África no contexto escolar mobilizaram um grande número de alunos da Universidade, colocando em pauta discussões sobre preconceito, acessibilidade educacional, estratégias pedagógicas de inclusão, entre outros.

Na palestra sobre cultura africana, a ministrante Nilda da Silva Pereira, professora doutora que atua na área de Direitos Humanos e igualdade racial na educação básica, compartilhou experiências no trato das questões raciais no contexto escolar e desafiou os alunos, futuros professores, a refletirem de maneira consistência sobre a temática desde a formação universitária.

No momento da palestra, os indígenas fizeram uso da palavra primeiramente falando sobre a realidade dos indígenas que ingressam em cursos de nível superior e, depois, distribuíram livros que tratam da questão indígena em MS e no Brasil.

A mobilização faz parte das ações promovidas pela UEMS em comemoração ao Dia do Índio (19 de abril). A UEMS tem se destacado nacionalmente por suas ações de integração racial, tanto por sua política de cotas para negros e indígenas, quanto pelas ações que visam à permanência dos cotistas na Universidade durante a graduação.

Já no encerramento, a estudante indígena Rosana comoveu os participantes com sua fala, na língua terena. “nós ainda enfrentamos preconceitos, mas acreditamos que através da educação um dia iremos superá-los”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

GERAL

Correios distribuirão provas do Concurso Unificado

ECONOMIA

Vendas do Tesouro Direto sobem 13% em janeiro

INFRAESTRUTURA

Governo de MS mantém ações voltadas ao desenvolvimento de Ponta Porã

SAÚDE

Grupo vai subsidiar políticas de enfrentamento de mortes no trabalho