Menu
Busca sexta, 22 de outubro de 2021

“Jovens Conscientes” deixam a aldeia para dar show de hip-hop

“Jovens Conscientes” deixam a aldeia para dar show de hip-hop

27 dezembro 2011 - 11h02Por Assessoria
Nas diversas atrações que foram levadas para os douradenses e para os visitantes de cidades circunvizinhas e até mesmo de outros estados no calendário “Natal, Celebração da Luz” na praça Antônio João, uma delas, um grupo de hip-hop formado por três indígenas deram seu show com suas manifestações culturais.

Denominado de “Jovens Conscientes”, o grupo que é formado pelos indígenas Sidney Vilharvo Araújo, 20; Fênix Cabreiro Martins e Jânio Oliveira Cabreira, ambos com 17 anos, apresentaram em ritmo de dança, música critica aos descasos e as descriminações com que o povo deles é tratados pelos poderes constituídos e principalmente pela sociedade branca, e com isso arrancaram muitos aplausos dos mais de cinco mil pessoas presentes na frente do palco montado no interior da Concha Acústica.

O GRUPO

Os “Jovens Conscientes” foi criado em fevereiro de 2009 pela assistente social Dauzely Batista Costa e desde então passaram a se apresentar em várias cidades de Mato Grosso do Sul e em outros estados.

De acordo com a assistente social, a criação do grupo “Jovens Conscientes” teve como o intuito a dar uma oportunidade à juventude periférica, em especial indígena a lutar contra os preconceitos de forma a auxiliar no processo educativo; construir uma expressão artística; para mobilizar as periferias e também os responsáveis pela política cultural.

Ainda segundo Dauzely Costa o grupo “Jovens Conscientes” surgiu para dar oportunidades aos jovens indígenas de “falarem, expressar sentimentos tendo em vista a ressignificação de jovens diante do entendimento de si, como forma de fazer circular idéia sobre o sentido do eu do outro e do mundo”.

Construindo, valorizando, promovendo à ética e a paz, a cidadania e os direitos humanos, a democracia e outros valores universais, esta seria um dos ideais do grupo “Jovens Conscientes” quando de suas apresentações quer seja em teatros, espaços culturais, praças públicas entre outros locais.

Ainda segundo a assistente social, o objetivo do grupo “Jovens Conscientes” é promover através da arte, a educação como meio de ressignificação de si do outro e os princípios das alteridades e da diferencia e principalmente a recodificação de noções de direitos e de cidadanias, tanto no campo da cultura, da violência juvenil e nas relações de gêneros, com jovens indígenas.

Dauzely Costa encerra dizendo que o objetivo do grupo “Jovens Conscientes” é o de reabilitar outras atitudes e outros valores e cerca do campo da pratica a ação, mais sem deixar de lado a sua própria cultura, tornando-os uma espécie de intercâmbio entre as comunidades indígenas e não indígenas.

“O grupo Jovens Conscientes foi formado para superar o preconceito, o risco social e principalmente para interagir”, concluiu a criadora do grupo que ao se apresentar na praça Antônio João, dançaram e cantaram músicas que agradaram a grande platéia presente no local.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍTICA
Presidente diz que valor de auxílio foi decidido com responsabilidade
DIREITOS HUMANOS
Morte violenta atinge 6,97 mil crianças e adolescentes por ano no país
LEGISLATIVO DE MS
Neno Razuk solicita a SES estudos para implantação de mutirão de vacinação contra COVID-19
POLÍTICA
CCJ da Câmara aprova suspensão de validade de concursos na pandemia