Menu
Busca quinta, 24 de junho de 2021

Mulher grávida é presa por não pagar pensão ao ex-marido

Mulher grávida é presa por não pagar pensão ao ex-marido

09 maio 2012 - 09h21Por G1
Uma mulher de 20 anos, grávida de 9 meses, foi presa em Taubaté, no interior de São Paulo, por falta de pagamento de pensão para o ex-marido, que tem a guarda da filha do casal, de 3 anos. A mulher foi presa na segunda-feira (7) e solta nesta terça-feira (8), após sua família pagar a dívida no valor de R$ 600.

Suellen Carvalho deixou a cadeia de Pindamonhangaba no início da tarde desta terça. Na segunda, ela foi chamada à delegacia de Taubaté. Ao chegar ao local, foi presa, pois devia seis meses de pensão para o ex-marido.

"Eu não sabia que ele tinha me colocado pra pagar pensão. Aconteceu sem me comunicar primeiro. Eu nem sabia que existia um processo contra mim", contou a jovem.

Suellen passou uma noite na cadeia. O parto já tem data marcada, nesta quinta-feira (10), às 8 horas. A experiência de ficar atrás das grades não foi boa. "Eu tive dor, bastante dor. Fui para o hospital até, estava com um dedo e meio de dilatação", contou. “Por eu não ser criminosa, chegar no hospital com polícia, todo mundo fica olhando, falam ‘nossa, grávida com polícia’, é complicado", disse a jovem.

Segundo o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Taubaté, Aluísio Nobre, a gravidez não é um impedimento para o cumprimento da ordem judicial. "Se não tiver risco à gestante, não há nenhum impedimento que seja presa. E também é necessário que se diga que quando o juiz decretou essa prisão, ele não teve em mente se há um direito ou um dever da mulher ou do marido, ou da ex-mulher ou do ex-marido, e sim daquela criança que está esperando por essa pensão alimentícia e que é fator, inclusive, da sua sobrevida", explicou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
INSS inicia pagamento de segunda parcela do 13º salário a aposentados
PONTA PORÃ
PM apreende carro transportando pneus e cigarros
LEGISLATIVO DE MS
Com mortes de bancários, Neno volta a defender inclusão do grupo na vacinação contra Covid
IMUNIZAÇÃO
Com cobertura em 40,06%, campanha de vacinação contra a Influenza continua em Mato Grosso do Sul