Menu
Busca quinta, 13 de maio de 2021

Promotor pede que 7 participantes de orgia em MS respondam por estupro

13 setembro 2011 - 14h50
Promotor pede que 7 participantes de orgia em MS respondam por estupro

G1 MS

O promotor da Vara da Infância e Juventude de Campo Grande, Sérgio Harfouche, encaminhou nesta segunda-feira (12) à Justiça o pedido de indiciamento de sete dos 19 jovens que são suspeitos de matar aulas para participar de orgias em que praticavam sexo e consumiam drogas, por estupro de vulnerável, formação de quadrilha e posse de aparelhos para preparação de entorpecentes.

Segundo a investigação da Polícia Civil, os adolescentes do grupo teriam praticado sexo com menores de 14 anos durante os encontros em Campo Grande. Conforme o Código Penal Brasileiro, sexo com menores de 14 anos, mesmo consentido, é considerado estupro de vulnerável.

Harfouche diz que inicialmente não pretendia pedir o indiciamento dos jovens, mas que mudou de opinião após ler os autos do inquérito policial. “Eu tinha intenção de não representá-los, de dar uma segunda chance, mas o que tenho aqui nos autos é muito consistente, percebi uma formação de quadrilha e eles terão que responder judicialmente pelo o que fizeram”, diz.

O promotor adianta ainda que foi pedido também a internação provisória dos dois jovens considerados 'cabeças' do esquema, o dono da casa onde ocorriam as orgias e um primo dele. Ele alerta que, caso os outros cinco jovens não compareçam as audiências quando for determinado, também podem ser internados. Para os outros adolescentes que não serão representados judicialmente, o promotor estuda alguma forma alternativa de punição.

“Tem que ser assim! Está na hora de mostrarmos para estes adolescentes, o que a vida irá lhes proporcionar: Responsabilidade. Quando esses jovens cometem estes crimes, acabam com a vida de toda família. Têm que aprender!”, finaliza o promotor.

Caso
Segundo a Polícia Civil, o caso foi descoberto depois que a mãe de uma jovem de 12 anos procurou a Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), no dia 18 de agosto, para registrar o abandono familiar da garota, que saiu de casa para ir a escola, mas não chegou ao colégio.

Ela foi encontrada, conforme a polícia, próximo ao Parque Ayrton Senna, no bairro Aero Rancho, junto com outros dois jovens, estudantes da mesma escola, e que também haviam faltado a aula.
Em depoimento, ela confirmou que havia 'matado aula' junto com amigos naquele dia e que isso acontecia constantemente. Revelou ainda à polícia, que o grupo seguia para a casa de um colega, onde vários jovens com idade entre 11 a 16 anos se encontravam.

A jovem disse à polícia que já manteve relações sexuais com esse adolescente há aproximadamente cinco meses.

A garota relatou também que aos encontros foi dado o nome de 'Congresso do Bulimento', e que a gangue do adolescente era chamada de 'of the sexy'. A evasão escolar para os encontros foi batizada, de 'matança ou matamento'.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MIRANDA
Polícia Militar tira duas armas de fogo irregulares de circulação
LEGISLATIVO
Deputados devem votar quatro projetos em segunda discussão nesta quinta-feira
SAÚDE
Novo lote de vacinas da Pfizer chega ao Brasil
CORUMBÁ
Polícia Militar evita suicídio de homem, e o prende após violência doméstica