Menu
Busca sexta, 22 de outubro de 2021

Representantes de MS vão ao Mapa discutir proteção contra aftosa em Brasília

20 setembro 2011 - 10h14Por Midiamax
A secretária de Produção do governo do Estado, Tereza Cfristina Corrêa da Costa Dias, e o superintendente federal de Agricultura no Estado, Orlando Baez, discutiram ontem(20), com representantes do Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), em Brasília, as ações de prevenção e contenção sanitária relativas à febre aftosa.

O alerta foi dado com a confirmação de um foco no Paraguai, que decretou situação de emergência sanitária e animal em Sargento Loma, distrito de San Pedro. A doença foi diagnosticada em 13 animais de um propriedade na região e o decreto presidencial foi publicado na segunda-feira (19).

A área afetada fica a 150 quilômetros do município brasileiro de Iguatemi, em Mato Grosso do Sul. A vigilância na região de fronteira conta com apoio do Exército, que já estava na área desde a semana passada, em atividades da Operação Ágata II.

A preocupação em Mato Grosso do Sul, segundo informações do governo do Estado, é com a possível ação de contraventores, no sentido de atravessar ilegalmente gado paraguaio pela fronteira.

O rebanho de Mato Grosso do sul está estimado em 22 milhões de animais, 800 mil somente na Zona de Alta Vigilância, que engloba por 13 municípios na fronteira com o Paraguai e foi delimitada depois da ocorr6encia de focos de febre aftosa em 2005. Em março deste ano, o Mapa reconheceu a região como área livre de febre aftosa com vacinação.

Mapa

Em nota à imprensa publicada na tarde desta segunda, o Mapa afirma que o Brasil está intensificando a fiscalização na fronteira com o Paraguai e acompanhando de perto a o desenrolar da situação no país vizinho.

“Do lado brasileiro e, desde o surgimento da suspeita da doença, foram intensificadas ações de vigilância e prevenção na fronteira com o Paraguai. Entre as medidas tomadas estão o aumento do contingente de fiscais federais agropecuários na divisa, a colocação de barreiras volantes na região, mapeamento de propriedades de maior risco dentro do Brasil e ações conjuntas com os Estados e o Ministério da Defesa”, diz a nota.

No comunicado, o Mapa afirma ainda que o governo brasileiro está à disposição do Paraguai para ajudar nas medidas de erradicação imediata da doença, “por ser a meta do governo brasileiro a erradicação da febre aftosa em todo o continente”.

O ministro de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Mendes Ribeiro Filho, assina a nota oficial.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍTICA
Presidente diz que valor de auxílio foi decidido com responsabilidade
DIREITOS HUMANOS
Morte violenta atinge 6,97 mil crianças e adolescentes por ano no país
LEGISLATIVO DE MS
Neno Razuk solicita a SES estudos para implantação de mutirão de vacinação contra COVID-19
POLÍTICA
CCJ da Câmara aprova suspensão de validade de concursos na pandemia