Menu
Busca terça, 15 de junho de 2021

Polícia Civil quer áudio em que homem confessa morte da ex-esposa

Polícia Civil quer áudio em que homem confessa morte da ex-esposa

23 abril 2012 - 13h50
Campograndenews


A Polícia Civil quer o áudio em que Samuel Santos da Silva, de 34 anos, confessa a uma atendente de TV por assinatura ter matado a ex-esposa, Laura Paez, 32 anos.

A delegada Rozeli Molina, da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) disse que irá encaminhar ofício solicitando o áudio.

O material, divulgado pelo SBT, irá constar no inquérito sobre o caso, assim como depoimentos de vizinhos e familiares do casal, que ainda serão intimados para as oitivas.

Samuel matou Laura com golpes de canivete no último dia 19 (quinta-feira), na casa dela, no bairro Nova Lima.

De acordo com a Polícia, Samuel havia passado a noite na residência de uma mulher com quem estava tendo relacionamento amoroso e na manhã do dia seguinte matou Laura.

Vítima e autor foram casados por 19 anos e estavam separados há um mês. O crime foi cometido diante dos filhos de três, seis, 10 e 13 anos, que contaram que ao desferir os golpes, o pai disse à mãe: “Se não for ficar comigo, não fica com mais ninguém”. O casal ainda tem um filho de 17 anos, que não estava no local.

Laura já havia denunciado o ex-marido à Polícia por ameaça duas vezes. A primeira em dezembro de 2010 e a última no dia 4 de abril. Por conta disso, Samuel estava proibido de se aproximar da ex-mulher.

Na manhã do dia do crime, Samuel invadiu a casa da ex-mulher. Houve discussão entre eles e ela foi morta.

Após o assassinato, Samuel também ligou para um primo, contou sobre o crime e disse que iria se matar. O primo foi à residência, chamou um policial e Samuel foi preso.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAMPO GRANDE
Policiais civis prendem trio suspeito de tráfico
SAÚDE
Covid-19: 82% dos indígenas receberam 1ª dose, diz Ministério da Saúde
TEMPO
Terça-feira de sol, temperaturas em elevação e umidade do ar em queda
EDUCAÇÃO
Quatro em dez alunos pensaram em parar os estudos devido à pandemia