Menu
Busca quinta, 15 de abril de 2021

Suposta bomba tinha pólvora e foi achada embaixo da cadeira do governador

03 janeiro 2015 - 07h15Por Midiamax
Havia pólvora em quantidade suficiente para matar alguém no objeto encontrado, na manhã desta sexta-feira (2), no auditório do Centro de Convenções Rubens Gil de Camilo, no Parque dos Poderes, em Campo Grande.

Detalhe: o objeto estava sob a cadeira onde ficou o governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), durante a solenidade de posse do novo secretariado do governo, na tarde de quinta-feira (1º).

As informações são da delegada Daniella Kades de Oliveira Garcia, da 3ª Delegacia de Polícia. Segundo ela, as investigações sobre o caso serão conduzidas pelo Garras (Grupo Armado de Repressão a Roubos, Assaltos e Sequestros).

Até o fechamento deste texto, autoridades policiais continuavam dentro do auditório do também chamado Palácio Popular da Cultura. Segundo a delegada, o primeiro laudo sobre o objeto deve sair em 30 dias.

Pouco antes das 11 horas, houve uma explosão no local – os acessos estão isolados pela Polícia Militar e Corpo de Bombeiros. Tratava-se de uma ‘detonação primária’, feita pelos policiais para verificar se havia explosivos no objeto.

Na ocasião, disse a delegada, foi detectada a presença de pólvora em quantidade suficiente para matar alguém. Agora, o objeto terá de ser reconstruído para conclusão do laudo pericial.

Inicialmente, a Polícia Militar informou que o objeto foi localizado por funcionários que desmontavam a estrutura do evento feito no auditório no dia anterior. Eles acionaram a PM via 190, conforme disse no local Alexander e Almeida, sargento da Tropa de Choque da corporação.

Em seguida, os acessos ao prédio foram isolados. Aos poucos, mais equipes policiais, do Corpo de Bombeiros e da perícia foram chegando ao local.

Segundo consta, o objeto tem dois tubos de PVC enrolados em fita adesiva. Chefias do Garras e da Tropa de Choque, que conduzem os trabalhos, não haviam falado com a imprensa até o fechamento deste texto, não havendo informações, por exemplo, sobre eventuais suspeitos no caso.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CORREDOR BIOCEÂNICO
Após suspensão de licitação, governo requisita novo cronograma para obra de ponte sobre Rio Paraguai
JUSTIÇA
STF confirma decisão que determinou a abertura de CPI da Pandemia
POLÍTICA
Senado debate adiamento do reajuste de preços de medicamentos
NAVIRAÍ
Polícia Civil incinera 1,2 tonelada de drogas