Menu
Busca sábado, 16 de outubro de 2021

Por suspeita de corrupção, Justiça bloqueia bens do prefeito de Água Clara

23 julho 2011 - 13h24
O prefeito de Água Clara, Edvaldo Alves de Queiroz, o "Topete”, do PDT e da ex-prefeita do município Márcia Regina Gobbi Juliano e do engenheiro Anderson Tabox Saiar tiveram os seus bens bloqueados pela juíza Emirene Moreira de Souza.

Eles são suspeitos de comandar um esquema de improbidade administrativa, onde superfaturava a indenização de imóveis desapropriados.

Segundo a peça criminal, o MPE (Ministério Público Estadual), autor da denúncia, pede que torne indisponível 50% dos bens imóveis matriculados neste cartório sob n° 3263: "registrado em nome de Edvaldo Alves de Queiroz e Antonia Aparecida Alves de Queiroz, avaliado em aproximadamente em R$ 691.245,50" e n° 1941: "registrado em nome de Márcia Regina Gobbi Juliano, avaliado em aproximadamente em R$ 180.000,00",.

No suposto esquema, a indenização paga foi de R$ 588 mil. A indisponibilidade dos bens dos implicados é até o limite de R$ 406 mil - valor do suposto prejuízo causado aos cofres públicos.

Midiamax

Deixe seu Comentário

Leia Também

GERAL
Ação global em defesa do clima reúne mais de 20 países
Evento terá shows simultâneos ao redor do mundo
SAÚDE
Comissão geral debate nesta terça-feira políticas públicas de apoio a vítimas de Covid-19
MEIO AMBIENTE
Governadores avançam na criação de consórcio em defesa do desenvolvimento sustentável
SAÚDE
Brasil recebe lote de 4,5 milhões de doses da vacina da Pfizer