Menu
Busca terça, 20 de abril de 2021

Com baixa oferta, arroba do boi gordo aumenta 18% no Estado

Com baixa oferta, arroba do boi gordo aumenta 18% no Estado

26 dezembro 2014 - 10h30Por Correio do Estado
A desproporção entre oferta e procura elevou em 18,26% o valor da arroba do boi gordo em Mato Grosso do Sul em um ano, passando de R$ 115 para R$ 136. O volume menor de carne para abastecer o mercado doméstico se relaciona ao maior embarque do alimento para outros países e queda na quantidade de abates. A tendência para o próximo ano é de alargamento da diferença entre oferta e procura e, por conseguinte, encarecimento ainda maior da carne.

De acordo com a Superintendência Federal de Agricultura no Estado (SFA-MS), de janeiro a novembro, foram abatidos 3,42 milhão de cabeças, 4% a menos que a quantidade contabilizada em igual período de 2013, com 3,57 milhão de animais. Essa queda, que reduz o volume de carne no mercado e aumenta os preços, ocorre após elevação acentuada no volume de abates nos últimos cinco anos. Ou seja, os estoques no Estado estão reduzidos.

O analista-chefe e estrategista de mercado de pecuária de corte da Rural Business, Júlio Brissac, observa que a produção bovina tem diminuído no Estado em consequência do volume significativo de abates de fêmeas. Na comparação entre janeiro e novembro deste ano e igual período de 2010, a quantidade de abates de matrizes aumentou 38,6%, de 1,07 milhão para 1,48 milhão de cabeças.

Essa trajetória foi atenuada neste ano, com redução de 6,6% na destinação de vacas aos frigoríficos – foram abatidos, de janeiro a novembro de 2013, 1,58 milhão de fêmeas. “Mesmo apontando queda de 6,6% em um ano, tal volume representa 38,6% a mais do que o reportado 5 anos atrás, mostrando que os produtores locais abatem, hoje, 411 mil cabeças a mais de fêmeas do que em 2010”, detalha Brissac.

O analista observa que a participação das fêmeas no total dos abates apresenta média elevada nos últimos anos e a tendência é de aprofundamento desse cenário em 2015. “Vamos fechar 2014 com abate sequencial muito alto de fêmeas nos últimos quatro anos, com média de 45%. Este porcentual causa baixa oferta de gado também em 2015 e, assim, propostas de compra de gado gordo com preços ainda mais altos tanto na safra como na entressafra 2015, guardando as devidas proporções”, afirma.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
Novos leitos de UTI são disponibilizados na Capital, em Dourados e Três Lagoas
PONTA PORÃ
Veículo que seguia para Brasília com maconha foi apreendido pelo DOF
SAÚDE
Sancionada lei sobre remessa de patrimônio genético ao exterior
CORONAVÍRUS
MS participa de consórcio para compra de 28 milhões de doses de vacina contra Covid-19