segunda, 22 de julho de 2024

Em Brasília, vice-governadora pede atenção especial à fronteira para combate ao aedes aegypti

09 dezembro 2015 - 07h45Por Notícias MS
Em reunião convocada pela presidenta Dilma Rousseff nesta terça-feira com os governadores do País para tratar do Plano Nacional de combate ao mosquito aedes aegypti e da campanha de atendimento às gestantes e bebês com microcefalia, a vice-governadora de Mato Grosso do Sul, Rose Modesto, representou o governador, Reinaldo Azambuja, e pediu ao Governo Federal para acionar os países de fronteira, no caso de MS – Bolívia e Paraguai – para que também eles façam seus deveres de casa e combatam o mosquito transmissor das três doenças epidêmicas: a dengue, a zika e a febre chikungunya.

Para o combate em território nacional, haverá a adesão das Forças Armadas e de recursos financeiros disponibilizados a cada Estado para travar a guerra contra o mosquito que vem disseminando doença em todo o Brasil. “Estamos bastante atentos à questão da transmissão da doença em MS, agora com as Forças Armadas vamos avançar mais e travar essa batalha contra o mosquito aedes aegypti. Mas também ponderamos em reunião com a presidenta que deve haver contato imediato com as autoridades dos países que fazem fronteira com o Brasil para que nosso esforço do lado de cá da fronteira não seja em vão”, argumentou a vice-governadora que também é secretária de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho.

O governador Reinaldo Azambuja não pode comparecer à reunião de governadores em Brasília (DF) pois esteve nesta terça-feira na região sul do Estado para acompanhar ao lado do ministro Integração Nacional, Gilberto Occhi, reunião com prefeitos de 14 municípios em grave situação devido às ultimas chuvas.

Para a execução das ações do Plano Nacional de Enfrentamento à Microcefalia, será instalada a Sala Nacional de Coordenação Interagências, que funcionará no Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (CENAD), no Ministério da Integração Nacional. Também serão instaladas salas estaduais, que contarão com a presença de representantes do Ministério da Saúde, Secretarias de Saúde, Educação, Segurança Pública (PM e Bombeiros), Assistência Social, Defesa Civil e Forças Armadas.

Ainda dentro do plano divulgado serão realizadas orientações à população sobre o combate ao mosquito nas residências, mobilizações com agentes comunitários de saúde, agentes de combate a endemias, além da participação da população. Para esse controle do vetor, o Governo Federal vai adquirir e disponibilizar equipamentos para aplicação de inseticidas e larvicidas e garantir a compra dos insumos.

Para garantir o cuidado adequado às gestantes e bebês, o Ministério da Saúde está disponibilizando, a todos os profissionais de saúde, o Protocolo e Diretrizes Clínicas para o atendimento da microcefalia. Além disso, o Ministério da Saúde vai ampliar a cobertura de tomografias e apoiar a criação de centrais regionais de agendamento dos exames.

Repasse de valores devidos
Outro assunto levado pelo Governo de Mato Grosso do Sul ao encontro em Brasília foi o acerto do repasse dos valores devidos de procedimentos de média e alta complexidade pelo Sistema Único de Saúde (SUS) aos governos de todo o país e também em MS. “O Governo Federal posicionou os estados de que será disponibilizado crédito para sanar as dívidas de repasse para esses procedimentos”, descreveu a vice-governadora.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Início de operação da fábrica de Ribas do Rio Pardo consolida MS como vale da celulose

ECONOMIA

Mercado voluntário de carbono no Brasil recua em 2023

Dados são do Observatório de Bioeconomia da FGV

BRASIL

Conab recebe mais R$ 115 milhões para apoio à comercialização da agricultura familiar

DIREITOS HUMANOS

Cimi: políticas públicas ainda não frearam violência contra indígenas

Relatório cita fortalecimento e retomada de ações de fiscalização