segunda, 22 de julho de 2024

Governador quer audiência no Planalto para falar sobre compra de terras e pôr fim a conflito

03 dezembro 2015 - 09h00Por Notícias MS
O governador Reinaldo Azambuja afirmou, na tarde desta quarta-feira (2), em reunião com lideranças indígenas e deputados estaduais, que irá solicitar ao Governo Federal uma audiência com a Presidente da República, Dilma Rousseff, para dialogar sobre o pedido de destinação de verbas da dívida da União para aquisição de terras em Mato Grosso do Sul.

“Queremos distensionar o ambiente de conflito por terras e essa seria uma forma de resolver um problema que existe há anos no Estado, e ainda poderá servir de modelo para todo país”, disse Reinaldo.

O pedido de audiência, segundo o governador, será feito nesse ano, na tentativa de garantir celeridade ao processo de diálogo e promover um encontro ainda em 2015. “Nós queremos que essa agenda aconteça ainda neste ano, mas tudo vai depender da Presidência da República, por isso não podemos garantir”, explicou o governador.

A Assembleia Legislativa, conforme Reinaldo, também deverá elaborar o mesmo pedido para reforçar a proposta do Estado em utilizar o recurso de pagamento da dívida com a União para a compra de terras. Conforme a Secretaria Estadual de Governo e Gestão Estratégica, aproximadamente, R$ 85 milhões são usados para pagar a dívida com a União mensalmente. A proposta é destinar esse valor ao Fundo Especial Para a Aquisição de Terras (Fepat).

Para a titular da Subsecretaria de Políticas Públicas Indígena, Silvana Albuquerque, a tentativa do Governo do Estado já é algo inédito e que poderá eximir o povo indígena de anos de luta por terra.

“Existem processos (sub judice) engavetados há 40 anos e com 11 meses de gestão o governador já conseguiu trazer essa possibilidade. É preciso diálogo para que o Governo Federal se sensibilize diante da proposta”, afirmou a subsecretaria.

O cacique Chico Ramiro da aldeia Ipegue, da etnia Terena, espera que a presidente Dilma esteja sensível à causa, já que o interesse em findar os conflitos também é de interesse do Governo Federal. “O que nós mais queremos é resolver a questão da terra, o mais rápido possível”.

Outra pauta discutida durante o encontro foi a necessidade de investir na produção agrícola familiar nas 78 aldeias do Estado. O governador disse ser necessário o fortalecimento da produção e o apoio às comunidades.”Todos precisam da geração de renda e nós vamos trabalhar para garantir isso”, disse Reinaldo.

“Precisamos de mais investimento, já que, antes, projetos foram criados, mas do gabinete para dentro e não tiveram continuidade. Agora, precisamos ouvir os índios”, ressaltou Silvana.

Estiveram presentes os deputados estaduais João Grandão, Beto Pereira, Junior Mochi, Rinaldo Modesto, Pedro Kemp e Zé Teixeira.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Início de operação da fábrica de Ribas do Rio Pardo consolida MS como vale da celulose

ECONOMIA

Mercado voluntário de carbono no Brasil recua em 2023

Dados são do Observatório de Bioeconomia da FGV

BRASIL

Conab recebe mais R$ 115 milhões para apoio à comercialização da agricultura familiar

DIREITOS HUMANOS

Cimi: políticas públicas ainda não frearam violência contra indígenas

Relatório cita fortalecimento e retomada de ações de fiscalização