13/07/2017 13h22

Quadrilha presa com 807 quilos de maconha usava batedores para monitoramento

 
 

Os 807 quilos de maconha apreendidos na madrugada desta quinta-feira (13), na BR-365, foram comprados no Paraguai, na fronteira de Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul. A informação foi confirmada pelas Polícias Civil e Militar, durante uma coletiva. A quadrilha estava em três veículos e usava batedores para monitorar a presença de fiscalizações no percurso. Quatro homens, de 31, 33, 34 e 40 anos, foram presos.

"Os batedores seguiam na frente do carro que transportava as drogas, às vezes com distanciamento de até uma hora. A estratégia deles era de visualizar barreiras policiais e fiscalizações no percurso. As investigações estão em curso para identificar os receptores da droga, mas já podemos divulgar que ela seria distribuída em Montes Claros e cidades da região", explica do delegado Herivelton Ruas Santana, da Delegacia de Investigações Especiais, Antidrogas e do Núcleo de Inteligência Policial.

Desde o último domingo (9), policiais se revezavam em turno para monitorar e prender os criminosos. Nesta quinta, eles se dividiram em 10 equipes e ficaram posicionados em pontos diferentes da rodovia. Para diminuir riscos de fuga e preservar a segurança da operação, os policiais simularam a interdição da pista. "Como sabíamos dos batedores, simulamos algo parecido com um acidente para evitar a associação deles à fiscalização policial. Com isso, a abordagem foi tranquila, sem resistência. Eles não estavam armados. As drogas estavam apenas em um carro", detalhou o Major Jarson Sebastian Hansem Ferreira, oficial da PM. Os presos são de Brasília de Minas, Montes Claros e Belo Horizonte. Apenas o homem de 40 anos, que dirigia o carro com as drogas, não possuía passagens pela polícia.

Foram utilizadas escutas telefônicas durante as investigações. Segundo a polícia, para fazerem o percurso, de aproximadamente 2 mil quilômetros, os criminosos usavam estradas de terra e evitavam abastecer o carro que carregava a carga de drogas para não levantar suspeitas. Nesse veículo, dois galões de gasolina foram localizados.

Operação Dé JáVu

As investigações começaram em maio deste ano, após policiais militares repassarem informações à Polícia Civil sobre um grupo que não havia sido preso na Operação Vaccari, realizada em fevereiro. Na ocasião, quatro pessoas foram presas com 200 quilos de droga. "Assim que recebemos as informações, instauramos inquérito e começamos as investigações. Como ficou este grupo restante, colocamos o nome de operação Dé Jávu", explica o delegado.

Os homens serão autuados em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas e associação ao tráfico.

g1

Anuncie | Contato | Expediente | Política de Privacidade

Este material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído. Copyright 2011 © Conesul News - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por: Lobo Tecnologia&Internet