05/12/2017 16h20

Graduação do IFMS tem melhor conceito do Estado em avaliação do MEC

O Conceito Médio de Graduação é um dos indicadores que compõem o Índice Geral de Cursos, avaliação de qualidade da educação superior do Ministério da Educação

 

Da redação

Indicadores do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsáveis pela avaliação da qualidade da educação superior, apontam o Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS) como a melhor graduação do Estado em instituições que se caracterizam pela indissociabilidade do ensino, da pesquisa e da extensão (universidades e institutos federais).

O Índice Geral de Cursos (IGC) foi divulgado pelo Ministério da Educação (MEC) na última segunda-feira, 27 de novembro, e está disponível na página do Inep.

Além dos cursos de graduação, os números avaliam também a oferta de mestrado e doutorado. Como o IFMS ainda não oferece tais programas, o único índice da instituição foi conceito médio da graduação, tendo o melhor número entre as universidades sul-mato-grossenses.

No número total, considerando a oferta de pós-graduação, o IFMS fica atrás apenas da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) em Mato Grosso do Sul. Se levados em conta as notas de Centros Universitários, o IFMS fica na terceira colocação.

O índice do IFMS foi baseado em quatro avaliações de cursos superiores: tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, ofertado nos campi Corumbá e Nova Andradina, licenciatura em Química, em Coxim, e tecnologia em Agronegócio, em Ponta Porã.

IGC

É calculado de acordo com a média de três conceitos, no período de três anos: Conceito Preliminar de Curso (CPC), Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) e dos conceitos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) dos cursos de mestrado e doutorado.

É um indicador de qualidade que avalia as Instituições de Educação Superior. Seu cálculo é realizado anualmente e leva em conta os seguintes aspectos: Média do Conceito Preliminar de Curso (CPC) do último triênio, relativo aos cursos avaliados da instituição, ponderada pelo número de matrículas em cada um dos cursos computados; Média dos conceitos de avaliação dos programas de pós-graduação stricto sensu atribuídos pela Capes na última avaliação trienal disponível, convertida para escala compatível e ponderada pelo número de matrículas em cada um dos programas de pós-graduação correspondentes.

Outro ponto avaliado é a distribuição dos estudantes entre os diferentes níveis de ensino, graduação ou pós-graduação stricto sensu, excluindo as informações do item II para as instituições que não oferecerem pós-graduação stricto sensu.

Como o IGC considera o CPC dos cursos avaliados no ano do cálculo e nos dois anos anteriores, sua divulgação refere-se sempre a um triênio, compreendendo todas as áreas avaliadas previstas no Ciclo Avaliativo do Enade.

Em 2016, foram avaliados os bacharelados nas grandes áreas de saúde, ciências agrárias e áreas afins e os cursos tecnológicos relacionados às áreas de ambiente e saúde, produção alimentícia, recursos naturais, militar e segurança.

Brasil

Levando-se em conta o número oficial divulgado, o IFMS é o sexto melhor Instituto Federal do Brasil, e o sétimo entre as instituições que compõem a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica.

As melhores colocações do ranking são dos Institutos Federais de Brasília (IFB), Goiano (IF Goiano), Catarinense (IF Catarinense), Sul-Rio-Grandense (IF Sul), e do Triângulo Mineiro (IFTM), além do Centro Federal de Educação Profissional e Tecnológica de Minas Gerais (Cefet/MG).

IFMS é o sexto melhor Instituto Federal do Brasil
(Divulgação). IFMS é o sexto melhor Instituto Federal do Brasil
(Divulgação).

Anuncie | Contato | Expediente | Política de Privacidade

Este material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído. Copyright 2011 © Conesul News - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por: Lobo Tecnologia&Internet